A enfermeira mineira Dariane Flaviano da Silva, 30, e seu marido, o inspetor penitenciário Vinícius Milanesi Oliveira, 32, enfrentaram um frio de -2ºC na última segunda-feira (17) para realizar um sonho que tinham desde a época do namoro: fazer o ensaio fotográfico do casamento no pico da Bandeira, na divisa de Minas Gerais e o Espírito Santo. Para isso, o casal e uma equipe de fotógrafas e cinegrafista caminharam serra a cima durante cerca de seis horas.

A noiva conta que desde 2015, quando foram a primeira vez até o pico, eles já sonhavam em fazer fotos no local. “Sempre gostamos muito de aventura e, quando ainda éramos namorados, fomos lá e já ficamos encantados. E aí quando começamos a pensar em casar já pensamos em fazer fotos nada convencional e acabamos decidindo por subir o pico”, conta.

Para a aventura, foi necessário meses de planejamento. Dariane, que é nascida em Chalé, na Zona da Mata, mas vive atualmente no Espírito Santo, lembra que casou em janeiro e, desde então, já buscava as formas de realizar o sonho. “Falei com a Rafaela e a Aline Emerick, que foram minhas fotógrafas, e elas toparam de cara. Depois fui correr atrás do rapaz que fez o vídeo e combinei com minha prima, que é maquiadora e ia arrumar o meu cabelo. O mais difícil foi conseguir um dia em que todos podiam fazer a trilha”, lembra.

Continua após a publicidade

A ideia inicial do grupo era levar barracas e acampar em uma parte mais baixa, para poderem descansar antes de subirem a parte mais pesada até o pico. Porém, ao chegarem ao Parque Nacional do Caparaó, foram informados pelos funcionários que não seria possível armar as barracas. “Por isso tivemos que sair por volta das 23h de domingo (16) e ir direto. Fomos chegar lá em cima às 5h40, faltando pouco tempo para o sol nascer”, lembrou.

Lá em cima, o casal precisou trocar de roupa apesar da temperatura negativa. “Tive que colocar o vestido na frente de todo mundo. Quando olhei o Vinicius já estava de cueca vermelha também, isso tudo enquanto o pessoal posicionava as câmeras. A adrenalina era tanta que nem sentimos frio. Foi o tempo exato de fazermos o ensaio com aquele visual deslumbrante”, finaliza a noiva.

A fotógrafa Rafaela Emerick conta que não imaginava que as fotos teriam tanta repercussão. “Imaginei que seria legal, mas não que seria assim. Fiquei muito feliz com o resultado”, destaca a profissional.


Comments are closed.