Dois indiciados por matar grávida para roubar bebê em Ituiutaba, vão a júri popular

Greiciara Belo Vieira, 19 anos, foi morta com requintes de crueldade

ITUIUTABA, MINAS GERAIS – Dois indiciados por participação no crime que chocou o Triângulo Mineiro em agosto do ano passado, vão a júri popular em Ituiutaba nesta quinta-feira (27). A jovem Greiciara Belo Vieira, 19 anos, que estava grávida de nove meses, foi morta com requintes de crueldade extrema e teve o bebê sequestrado – ao todo, seis pessoas são suspeitas de envolvimento no caso.

A audiência dos réus Lucas Mateus Silva e Jonathan Martins Ribeiro de Lima está marcada para às 8h no Fórum Desembargador Newton Ribeiro da Luz.

Além de Lucas e Jonathan, os acusados Shirley de Oliveira Benfica, a enfermeira Jacira Santos de Oliveira, Michel Nogueira de Oliveira e Luís Felipe Morais foram indiciados por homicídio qualificado, por motivo torpe, meio cruel, impossibilidade de defesa da vítima e por assegurar a execução de outro crime.

RELEMBRE O CASO

O corpo encontrado em avançado estado de decomposição em uma represa na zona rural de Ituiutaba. Após acionamento da Polícia Militar, Corpo de Bombeiros e perícia da Polícia Civil, ao retirar o corpo da água constatou ser de uma mulher e vítima de homicídio.

A vítima se encontrava com os pés amarrados por um tecido e o corpo envolto por uma tela de arame junto com uma pedra grande, além de estar com o abdômen aberto e com as vísceras expostas.

As investigações da Polícia Civil concluíram que Greiciara foi morta com requintes de barbárie.

Greiciara Belo Vieira foi encontrada em represa na zona rural de Ituiutaba no dia 21 de Agosto de 2016 / foto: Bombeiros

A ex-garota de programa, Shirley Benfica, foi apontada como mandante do crime. Segundo a polícia, ela simulava uma gravidez para o namorado, de Araguari, e resolveu roubar a criança para continuar mantendo a farsa.

Para isso, Shirley pediu a ajuda de uma amiga travesti, conhecida como Mirela, que mora em Ituiutaba e era amiga de Greiciara. Se conseguissem roubar a criança, Shirlei iria recompensar Mirela com dinheiro e um aparelho celular.

A menina recém-nascida foi localizada com vida na casa da vizinha de Shirley, onde havia sido deixada para que a suspeita pudesse ganhar tempo e fingir um parto. Segundo a polícia, a vizinha não teve participação no crime e, por isso, não foi indiciada.
A mãe de Greiciara conseguiu a guarda definitiva da neta após resultado do exame de DNA comprovando o parentesco.

Casa pega fogo em Ituiutaba com menino de 4 anos trancado

Tá namorando!