Abusada há cerca de 8 anos, uma possível segunda vítima do padre que apareceu em um vídeo beijando uma coroinha de 14 anos em Arceburgo, cidade de cerca de 10 mil habitantes do Sul de Minas, foi ouvida na Delegacia de Guaxupé, na mesma região, na manhã dessa sexta-feira (28).

De acordo com a Polícia Civil (PC), a garota que aparece no vídeo que causou grande repercussão na cidade prestou depoimento ainda na quinta-feira (27), quando teria indicado essa outra possível vítima. Na tarde desta sexta a corporação deverá repassar novos detalhes sobre este outro abuso que pode ter ocorrido.

A defesa do padre ainda teria informado que seu cliente se apresentaria na delegacia, não afirmando quando isso aconteceria. Até o fim dessa manhã o suspeito ainda não havia comparecido à unidade policial. O TEMPO conversou com o pároco, que informou apenas que foi orientado por seu advogado a não conversar com a imprensa por enquanto.

Continua após a publicidade

O vídeo em que o padre aparece beijando a adolescente, quando ela estava sem a blusa e o sutiã, foi publicado nas redes sociais e chegou até a Polícia Militar (PM) na quarta-feira (26), sendo repassado à PC. 

A princípio a adolescente negou os abusos, dizendo que seria melhor resolver a situação entre os membros da igreja, porém, após as imagens serem apresentadas, ela acabou confessando. Ela contou que foi ela mesma quem gravou o vídeo, gravado em março deste ano. Ela disse tê-lo enviado para outro coroinha da igreja e que as imagens acabaram vazando. 

As imagens foram editadas, com cortes no início e no fim do vídeo, mas a adolescente não quis contar o que aconteceu no restante do vídeo. O vídeo mostra o padre debruçado sobre a garota e, apesar do áudio ruim, segundo a polícia, é possível ouvir o padre dizendo em determinado momento que “se sangrar é normal”. 

A Polícia Civil investiga se houve conjunção carnal, entretanto, apenas o beijo dado pelo padre na adolescente já é considerado estupro.


Comments are closed.