A Minas Arena, responsável pela administração do Mineirão, rebateu a afirmação feita pelo deputado estadual Iran Barbosa (PMDB) na manhã desta quarta-feira (26), à Rádio Super Notícia. Durante entrevista no quadro ‘Café com Política’, o parlamentar disse ter ‘provas de irregularidades graves no contrato da Minas Arena’. 

Em nota, a concessionária que administra o Mineirão afirmou que cumpre com rigor todas as especificações do contrato de parceria publico-privada com o Estado de Minas Gerais, após ter percorrido o processo de licitação pública para reforma, modernização e operação do complexo. As contraprestações do governo somaram, em 2016, de acordo com a Minas Arena, R$ 117 milhões referentes ao pagamento pela obra de reforma e modernização do estádio, que vai voltar à gestão do poder público ao fim do contrato.

“Portanto, é irresponsável dizer que o Estado garante uma renda mínima à concessionária”, defendeu-se a Minas Arena. A operação do Mineirão, de acordo com a Minas Arena, também se provou um sucesso de receitas para clubes e, desde 2013, o Cruzeiro já captou mais de R$ 80 milhões em renda líquida somente com bilheteria. A Minas Arena informou, ainda, que o Atlético faturou cerca de R$ 29 milhões em 23 jogos, uma média de renda líquida de R$ 1.267.000 por partida.