Presidente da Amvap participa de lançamento do Programa ‘Criança Feliz’ em Uberaba

Presidente da Amvap participa de lançamento do Programa Criança Feliz em Uberaba

Com uma plateia formada por prefeitos de várias cidades da região, o ministro do Desenvolvimento Social, Osmar Terra, apresentou nesta segunda-feira (31/07), em Uberaba, o programa Criança Feliz. Atualmente, 2.500 municípios brasileiros aderiram ao programa, sendo 242 cidades mineiras. O Estado de Minas Gerais foi o único do país que, até o momento, não fez a adesão. A vinda do ministro serviu para elucidar algumas questões sobre o programa.

O presidente da Associação dos Municípios da Microrregião do Vale do Paranaíba – Amvap, e prefeito de Ipiaçu, Leandro Luiz de Oliveira, o Léo da Rádio, prestigiou o evento ao lado de vários outros prefeitos da Amvap e cidades vizinhas.

De acordo com o ministro Osmar Terra, o programa tem como objetivo garantir um acompanhamento mais pessoal e adequado às crianças de famílias mais carentes, oferecendo estímulos que garantam condições mais favoráveis a seu desenvolvimento, revertendo o quadro deliciado da situação da infância no país. Segundo o ministro, o programa está alicerçado em descobertas científicas que apontam que nos primeiros mil dias de vida é que se desenvolvem a inteligência e as competências humanas. Com dados técnicos e pesquisas de cientistas renomados de nível nacional e internacional, Terra chamou atenção para o programa e afirmou que o mesmo tem a contribuir e beneficiar estas crianças.

Na avaliação do prefeito de Uberaba, Paulo Piau, o programa vem contribuir com as políticas públicas para a primeira infância já adotadas, sendo flexível para sua implantação “e o melhor, sem custo para o município, já que há recursos no âmbito federal”. Outra avaliação feita pelo prefeito foi à integração de áreas como Saúde, Social e Educação, no âmbito do programa.

Durante um breve encontro com prefeitos e secretários antes de sua palestra, Osmar Terra afirmou que a implantação do programa não traz prejuízo a outros programas do Governo Federal, citando como exemplo o Bolsa Família e garantindo que a manutenção do mesmo continuará inclusive em volume maior, visto o período de crise que atinge o país. Ele afirmou também que o ministério irá fazer os repasses atrasados do Sistema Único de Desenvolvimento Social, bem como irá aumentar os repasses do PIAF. “O programa Criança Feliz é 100% financiado pelo Governo Federal. Ou seja, não onera os municípios. O que queremos é que estas crianças tenham estímulos na fase inicial da sua vida, que serão imprescindíveis para o seu crescimento, aprendizado e para seu futuro. Queremos integrar as ações”, disse ele, afirmou que o programa é flexível e pode ser desenvolvimento pelas secretarias de Saúde, Social ou Educação, ficando a critério do município esta definição. “Mas tudo estará integrado de forma a dar o melhor encaminhado à criança, direcionando a política pública que for a mais adequada”.

O Criança Feliz prevê visitas periódicas às casas das famílias para mostrar aos pais a maneira adequada de estimular o desenvolvimento dos filhos. Os beneficiários do Bolsa Família serão atendidos desde a gestação até os 3 anos. Para as crianças que recebem o Benefício de Prestação Continuada (BPC), o atendimento será até os 6 anos.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Itapagipe recebe encontro para discutir políticas públicas

PM localiza corpo esquartejado e prende casal em Uberlândia