Morcegos podem transmitir a raiva (Foto: Adapec/Divulgação)

O Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) de Uberlândia já localizou entre janeiro e agosto deste ano quatro morcegos diagnosticados com raiva, enquanto em 2016 não houve nenhum registro na cidade. Neste mês, um morador foi mordido por um morcego com o vírus da raiva.

Em entrevista nesta terça-feira (22), a coordenadora do Programa de Controle da Raiva, Lílian Vieira de Andrade, explicou que o aparecimento dos animais doentes na zona urbana não coloca a cidade em estado de alerta, mas o trabalho preventivo foi intensificado nas áreas onde os morcegos foram encontrados.

“Não sabemos o que ocasionou o aumento de casos em morcegos, mas o trabalho de prevenção, que é a vacinação, está sendo feito com muita rigidez. No ano passado, tivemos caso de gado infectado. É importante a população ficar em alerta e saber o que fazer”, disse a coordenadora.

A raiva é uma doença de origem viral que pode ser transmitida por qualquer mamífero por meio, em geral, de mordidas, arranhões ou mesmo lambidas. Conforme o CCZ, as pessoas devem tomar vacina e soro logo após contato com um animal não vacinado. Quando esse procedimento não é bem aplicado ou o paciente não toma as vacinas, a doença se desenvolve, causando inflamações no cérebro e na medula. Nesses casos, a maioria dos pacientes não sobrevive.

Continua após a publicidade

Mordida de morcego levou zoonoses para Bairro Umuarama

O caso mais recente de morcego contaminado com o vírus da raiva foi confirmado no Bairro Umuarama. Nesta semana, moradores receberam agentes do CCZ, que vacinaram cães e gatos. A vacinação emergencial aconteceu depois que um morador do bairro foi mordido por um morcego. Exames laboratoriais comprovaram que o animal estava contaminado.

G1 / Bárbara Almeida


Comments are closed.