Aeronave modelo EMB-820C Carajá, ano 1985, avaliada em R$ 340.500,00.

A primeira rodada do leilão de ativos da Laginha Agroindustrial S/A., foi encerrada nesta sexta-feira, 4. Quatro ativos foram inseridos no leilão, mas apenas a aeronave modelo EMB-820C Carajá, ano 1985, avaliada em R$ 340.500,00, recebeu um lance.

A proposta do comprador foi de pagar 1,5% a mais do valor sugerido, totalizando R$ 345.607,50.

Entre os bens, estão uma mansão onde funcionava a sede da empresa, em Jacarecica, que tem vista privilegiada para o mar, com direito a quadra de esportes e heliporto. O imóvel tem um lance mínimo de R$ 15.720.000.

Um apartamento no bairro Ponta Verde, avaliado em R$ 650.000;

Uma sala e uma garagem no edifício “Avenue Center”, no Centro de Maceió, com valor de R$ 145 mil.

No entanto, todos os bens foram reinseridos para uma nova praça da hasta e vão ficar à disposição do público até o dia 14 de agosto.

Leilão

O leilão está sendo conduzido pelos leiloeiros Renato Schlobach Moysés e Osman Sobral e Silva, matriculados nas Juntas Comerciais de São Paulo e de Alagoas, respectivamente.

Os lances poderão ser ofertados pela internet, no site da Superbid (www.superbidjudicial.com.br). Presencialmente, pode-se participar em São Paulo, na Av. Eng. Luís Carlos Berrini, nº 105, 4º andar, bairro Vila Olímpia.

Tentativa de impedimento

O filho do usineiro falido João Lyra, Jose Pereira de Lyra, impetrou um agravo de instrumento no Tribunal de Justiça de Alagoas (TJAL), solicitando a suspensão do leilão de ativos marcado para a tarde do dia (26) de julho em Alagoas.

A intenção de comprometer a Justiça e impedir o andamento de uma solução para o sofrimento de milhares de trabalhares e credores, já é conhecida – sempre que uma audiência é agendada, mais um capítulo desta novela de terror é escrito pelos futuros herdeiros de João Lyra.

O desembargador Tutmés Airan de Albuquerque Melo, do Tribunal de Justiça de Alagoas,  negou na manhã de quarta-feira (26), o pedido de suspensão do Leilão da sede da massa falida Laginha Agroindustrial S/A, feito por Antônio José Pereira Lyra, filho de João Lyra.

Recentemente, uma comitiva do Triângulo Mineiro, compostas pelos prefeitos Cleidimar Zanotto – Capinópolis, Ualisson – Canápolis, Léo da Rádio – Ipiaçu e Ovídio Afro Dantas – Cachoeira Dourada (MG), o vereador Joãozinho e Alan Santana viajou nessa semana a Maceió-AL, onde se reuniram com o novo administrador da massa falida do Grupo João Lyra, pessoa jurídica Lindoso e Araújo Consultoria Empresarial Ltda, de Recife, Pernambuco, visando um contato direto com o administrador, Dr. Lindoso, visando a solução para o impasse que vive a região desde o fechamento das usinas Triálcool e Vale do Paranaíba.

Com informações complementares do site de leilão Super Bid Judicial e do jornalista José Fernando  do jornal Extra Alagoas.


DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here