Jonathan precisou de atendimento e teve parte da cabeça enfaixada após agressões (Foto: Samir Alouan/Rádio 97 FM/Pontal Online)

FRUTAL, MINAS GERAIS – Detentos são suspeito de agredir o assassino confesso de ter roubado e matado Kelly Cristina Cadamuro, de 22 anos, na última quarta-feira (1) durante uma carona combinada por WhatsApp. Jonathan Pereira do Prado, de 33 anos, foi agredido por outros presos em uma cela no Presídio de Frutal (MG). De acordo com a Secretaria de Estado de Administração Prisional (Seap), o fato ocorreu na noite desta sexta-feira (3).

Jonathan Pereira do Prado, de 33 anos, teve um corte no supercílio e precisou ser atendido por uma enfermeira da unidade prisional. Após agressões, ele foi transferido para cela isolada.

Ainda de acordo com a Seap, a direção-geral da unidade prisional instaurou um procedimento administrativo para apurar as circunstâncias e responsabilidades pela agressão. Após a identificação dos agressores, eles passarão pela Comissão Disciplinar e sofrerão sanções administrativas. A Secretaria não soube informar quantos foram os presos que agrediram Jonathan.

Continua após a publicidade

O corpo de Kelly foi encontrado em um córrego entre Itapagipe e Frutal na última quinta-feira (2) sem a calça e com a cabeça mergulhada na água. Jhonatan foi preso no dia do crime em São José do Rio Preto e foi identificado como sendo o passageiro da carona.


Comments are closed.