Suspeitos foram presos / foto: Polícia Civil

UBERLÂNDIA, MINAS GERAIS – Três suspeitos foram presos pela Polícia Civil de Uberlândia. O trio é suspeito de tráfico interno de pessoas, exploração sexual e divulgação de imagens pornográficas envolvendo menores de idade. As vítimas eram aliciadas por meio de redes sociais.

Uma menor de 16 anos, que era estuprada constantemente pelo padrasto em Quirinópolis (GO), aceitou a proposta para trabalhar em Uberlândia como garota de programa. Os aliciadores prometeram um salário de R$3 mil à garota. Após começar a trabalhar como prostituta, a jovem percebeu que estava sendo explorada para gerar lucros para os aliciadores, momento que decidiu abandonar a prostituição e foi morar com um conhecido em um apartamento. A dona do imóvel desconfiou da situação e acionou o Conselho Tutelar, assim, a Polícia Civil deu inícios às investigações.

Foram presos Adevair Rufino de Almeida, de 49 anos, no bairro Shopping Park e o casal Dierry Ferreira Lino e Keusrislainy Ferreira Pimentel, ambos de 23 anos no bairro Pacaembu. Adevair Rufino, que era cliente, depois passou a ser sócio do casal no esquema de prostituição.

Continua após a publicidade

Foram apreendidos um notebook, celulares, contratos dos imóveis alugados pelos presos, R$ 550 reais em dinheiro e a maquininha que os clientes passavam os cartões para pagamento dos programas.

Segundo a delegada Ana Cristina Marques Bernardes, a PC fará as oitivas das outras cinco menores de idade que também seriam sido vítimas dos suspeitos.

Os presos estão no Presídio Professor Jacy de Assis.

 


Comments are closed.