A jovem Kelly Cristina Cadamuro, 22

Jonathan Pereira do Prado, de 33 anos, suspeito de matar a jovem Kelly Cristina Cadamuro, de 22 anos, após combinar carona via aplicativo de mensagens, foi indiciado por  indiciado por latrocínio – quando há roubo seguido de morte -, ocultação de cadáver e estupro.

O crime ocorreu na noite do dia 01 de novembro e o corpo encontrado despido em um córrego próximo à Itapagipe no dia 2 de novembro.

Havia suspeita de que a vítima havia sido estuprada, mas a Polícia não confirmou se indiciamento por estupro está relacionado à conclusão de exames periciais do corpo da jovem.

Continua após a publicidade

Outros dois suspeitos foram presos – Wander teria ficado com as rodas do carro de Kelly, enquanto Daniel comprou o celular dela.

Três suspeitos foram presos por suspeita de envolvimento no crime

RELEMBRE O CASO

A jovem estava desaparecida desde a tarde de quarta-feira (1º) de novembro. Ela havia combinado uma carona com um casal pelo Whatsapp, mas somente um homem apareceu.

Segundo Jonathan, ele pediu para a moça parar o carro e anunciou o assalto. Enforcou a vítima, amarrou seus braços para trás com uma corda premeditadamente levada na mochila e mergulhou a cabeça dela no Ribeirão Marimbondo, que passa às margens da MG-255, em Frutal.

Câmeras de segurança de um pedágio em Minas Gerais mostram Kelly ao volante. Quando o carro volta, o homem aparece sozinho. O veículo foi achado sem as rodas em uma estrada rural em São Paulo, às 10h de quinta (2).


Comments are closed.