Foto: Reprodução Tv Integração

Médicos do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) conseguiram fazer um parto de emergência e salvar um bebê após a mãe dele ser morta a tiros em Juiz de Fora, na Zona da Mata, na tarde de sexta-feira (17). O suspeito, que seria um adolescente de 16 anos, ainda atirou várias vezes contra o pai da criança, de 18 anos, que conseguiu escapar ileso. O atirador conseguiu fugir por uma mata após pular muros de várias residências.

A Polícia Militar (PM) foi acionada na rua da Paz, no bairro Santa Terezinha, na região conhecida como “Favela do Rato”, por volta das 14h. No local, os militares se depararam com a mulher de 26 anos, que estava no nono mês de gestação, caída dentro de casa com um tiro na cabeça. Os médicos agiram rápido e constaram a morte da grávida e iniciaram um procedimento de cesárea de emergência.

A criança nasceu em parada cardiorrespiratória, mas os médicos e enfermeiros do Samu fizeram o procedimento de ressuscitação que, felizmente, foi capaz de trazer o bebê de volta à vida. O menino, que será chamado de Lorenzo, foi socorrido respirando com ajuda de um balão de oxigênio à Maternidade Terezinha de Jesus, onde continua internado sem risco de morte.Para os policiais, o namorado da vítima contou que estava próximo da entrada de sua residência quando avistou o menor, que vive na casa do lado, com uma arma na mão. Ele efetuou um disparo em direção à mulher e, logo em seguida, atirou várias vezes contra ele, que conseguiu escapar ileso. Após a ação, o adolescente teria pulado vários muros e fugido pela mata conhecida como “Krambeck”.

Continua após a publicidade

A perícia da Polícia Civil (PC) esteve no local e recolheu três estojos e uma munição intacta de calibre 32. Foi constatada uma perfuração na cabeça da mulher. A PM fez buscas na região pelo suspeito, utilizando inclusive o helicóptero Pegasus, porém, até a manhã deste sábado o adolescente não havia sido apreendido.

Corte de energia em casa pode ter motivado crime

As informações iniciais levantadas pela PM no local indicam que tanto o pai do bebê como o autor do disparo estariam envolvidos com o tráfico de drogas e já teriam um desentendimento anterior. O jovem, que seria o alvo dos tiros, disse ainda que esteve preso recentemente e, por isso, não soube precisar exatamente o que motivou o crime.

Entretanto, a namorada do suspeito relatou para a PM que estava em casa e ouviu os disparos, descobrindo depois que a vítima tinha sido a grávida que, por sinal, era sua amiga. Segundo ela, o homicídio pode ter sido motivado pelo corte da energia elétrica na casa do menor pela vítima, já que a eletricidade era comum nas residências vizinhas.

Ainda de acordo com a PM, o adolescente já esteve acautelado no Rio e em Juiz de Fora e, ultimamente, vinha ameaçando os moradores da Favela do Rato na tentativa de implantar facções criminosas cariocas e comandar o tráfico de drogas na região. Ele já teve passagens por tentativa de homicídio no mesmo aglomerado, após atirar contra um desafeto e acabar acertando um taxista.

Os policiais foram até a casa da mãe do menor, que não estaria em casa na hora do atentado. Durante buscas na residência, foram apreendidos uma munição calibre 32, uma faca de 20 cm, um vaso de planta com três pés de maconha e uma bucha de maconha. Ela relatou que o filho, que se mudou recentemente do Rio de Janeiro e fixou moradia na favela, era dono de todos os materiais.


Comments are closed.