Moacy Franco interpretando o ‘Jeca Gay’ na ‘Praça é Nossa’ / foto: reprodução SBT

O SBT continua demitindo seus principais artistas. Após Carlinhos Aguiar e Jean Paulo Campos, o Cirilo, a emissora de Silvio Santos enxugou dois humoristas de “A Praça É Nossa”: Moacyr Franco e Paulo Pioli. Moacyr, já consagrado como ator, cantor e apresentador, foi desligado da emissora na última semana, depois de duas décadas de casa. Pioli, que estava na “Praça” havia 14 anos e era dono do bordão “Eta fuminho bão”, assinou sua rescisão nesta terça (21).

“É uma coisa que você não espera. Se você está há 14 anos em uma empresa, não é por acaso. Quando o funcionário é ruim, não permanece tanto tempo. A gente fica sem chão. Mas só tenho a agradecer por tudo que tenho, por todos esses anos com o Carlos Alberto e o Marcelo, que acreditaram no meu trabalho. Não deixo mágoa nenhuma no SBT”, afirma Pioli.

Pioli não sabe como vai se virar sem trabalho no fim de ano. “Pegou de surpresa, dependo do salário no final do ano. Agora é botar a cabeça para funcionar no país em crise, ver o que vou fazer da vida e torcer para que abram portas”, torce.

Continua após a publicidade

O ator de 54 anos foi chamado pela direção do SBT na última sexta, juntamente com Moacyr, que ainda não se apresentou na emissora para assinar a quebra do contrato. A reportagem apurou que ele recebia um dos salários mais altos por estar registrado como apresentador. Por aparecer pouco na “Praça”, o custo-benefício era alto para a alta cúpula da rede de Silvio Santos.

As demissões também surpreenderam Carlos Alberto e Marcelo de Nóbrega, diretor da “Praça”. Eles foram ao SBT nesta terça para selecionar as reprises em janeiro, porque a emissora cancelou a gravação de programas inéditos.

Segundo o secretário do ator, ele gravou recentemente o “Programa Raul Gil” e, portanto, deverá aparecer novamente no SBT. Procurada, a emissora diz que não comenta assuntos internos. De acordo com o jornalista Mauricio Stycer, o SBT planeja cortar 100 pessoas até o fim de 2017.

Moacyr tinha 12 anos de “Praça” e 20 de SBT, mas ele trabalha com Carlos Alberto de Nóbrega desde a década de 1960, quando interpretava o Mendigo da “Praça da Alegria”. O bordão dele virou marchinha de Carnaval, “Me Dá um Dinheiro Aí”. Na rede de Silvio Santos, ele foi diretor, apresentador e criador de programas como “Ô, Coitado” e “Meu Cunhado”.

Em agosto, o SBT demitiu outros dois humoristas da “Praça”, Charles Guttemberg e Marcelo Benny, o Rapadura e o Bananinha da Tropa de Malucos. Eles tinham 15 anos de SBT e eram veteranos do atual elenco da “Praça”, mas não apareciam no programa desde abril. Carlos Alberto lamentou a demissão dos humoristas e explicou o motivo da saída de Rapadura e Bananinha.

“Não tivemos como evitar, a crise está em todos os cantos. Bananinha e Rapadura não entravam mais porque não tinha mais o que fazer pelo tipo de humor que eles fazem, circense. Ficou o Durão, que entra toda a semana. Na hora de fazer os cortes, deixei que a emissora escolhesse quem seria afastado. Foi triste para mim, porque eles estavam comigo desde o Beto Carrero. Desejo boa sorte para os dois e espero que não me culpem pelo que está acontecendo”, afirmou.

Via F5


Comments are closed.