Uma barreira do tamanho de um vice-líder apareceu no caminho do Montes Claros para o time do Norte de Minas tentar jogar para longe a sequência de seis derrotas seguidas na Superliga masculina. Contra o Sesc-RJ, na noite desta quarta-feira, o Pequi Atômico, que chegou com apenas uma vitória em oito jogos, sabia das dificuldades que teria. Os cariocas, com quatro jogadores da seleção no elenco, confirmaram a expectativa de dar muito trabalho.

Mesmo sem o líbero Thiago Brendle e o ponta João Rafael, os visitantes mostraram porque estão na perseguição ao líder Sada Cruzeiro. Mas a tarefa fluminense não foi fácil diante de um MOC que tem apresentado um melhor volume de jogo nas últimas três rodadas. Depois de dar trabalho para EMS Funvic Taubaté-SP e Sada Cruzeiro, o MOC conseguiu incomodar um outro time de alto investimento. No entanto, o incômodo durou pouco tempo, muito menos do que deveria para que os donos da casa merecessem sair de quadra com alguma pontuação.

Com mais volume e menos erros, o Sesc-RJ chegou à sua sétima vitória seguida pelo placar de 3 a 0 (27/25, 25/17 e 25/23) para ficar a apenas dois pontos do Cruzeiro e, ainda, com um jogo a menos. O ponta Japa foi eleito o melhor jogador em quadra. O MOC segue na 10ª posição, podendo assumir a vice-lanterna caso o JF Vôlei vença o Ponta Grossa Caramuru-PR, último colocado, no complemento da rodada. O próximo jogo do MOC será na quarta-feira, dia 6, fora de casa, para o Copel Telecom Maringá-PR.

Continua após a publicidade

O melhor momento do MOC aconteceu no primeiro set, quando as trocas de pontos marcaram a parcial. O Montes Claros conseguiu ter um bom índice de viradas de bolas, tendo no Alemão sua principal opção. Assim como aconteceu em outras partidas, o time mineiro ’empacou’ quando tinha, nas mãos, a chance de fechar a parcial. No 23 a 20, o MOC permitiu o empate dos adversários, que fizeram o set ir além dos 25 pontos. Sem a tranquilidade necessária, o MOC foi surpreendido e saiu atrás.

No segundo set, o Montes Claros fez tudo que não deveria. Com uma sequência de bolas atacadas para fora, os donos da casa se colocaram em uma situação complicada. O Sesc apenas agradeceu os vários pontos dados de graça para fazer um 2 a 0 sem nenhuma dificuldade. A substituição de Lorena no lugar de Alemão, que surtiu pouco efeito, foi mantida no terceiro set.

Errando menos, o MOC conseguiu voltar ao jogo no terceiro set, quando a diferença no placar foi bem menor, na média de dois pontos a favor do Sesc. Os visitante seguiram agressivos no saque para marcar território e não deixar escapar os encaminhados três pontos.

Escalações

Montes Claros: Sandro, Alemão, Tarcísio, Mesa, Zanotti, Najari e Alan. Entraram: Mudo, Cristiano, Vanderson, Luan. Técnico: Sérgio Cunha

Sesc-RJ: Thiaguinho, Renan, Tiago Barth, Maurício Souza, Japa, Maurício Borges e Alexandre. Entraram: PV, Everaldo. Técnico: Giovane Gávio