Mais um capítulo para o conturbado momento vivido nos bastidores do Cruzeiro. A décima vara cível de Belo Horizonte concedeu na tarde desta quarta-feira uma liminar cancelando a eleição da chapa do conselho efetivo do clube, que estava marcada para acontecer no próximo sábado. Alegando várias irregularidades, até mesmo a falsificação de assinaturas, a chapa “Pelo Cruzeiro Tudo, Do Cruzeiro Nada”, encabeçada pelo atual presidente da Raposa, Gilvan de Pinho Tavares, entrou com o pedido de cancelamento da eleição.

“Conseguimos vencer essa primeira queda de braço. Era exatamente o que a gente esperava e gostaria que acontecesse”, comemorou o conselheiro Ronaldo Granata, eleito vice-presidente da chapa de Wagner Pires de Sá para a presidência do clube e que acabou rompendo com Wagner pouco tempo depois, conforme informou em contato com o SuperFC. 

Segundo ele, Wagner não teria cumprido com a palavra e estaria tentando promover mudança no quadro de conselheiros do Cruzeiro. “O Wagner começou a colocar gente dele e ele havia dado a palavra dele que não mexeria em nada no quadro de conselheiros. Mas de repente começou a colocar pessoas que não tinham nada a ver. Ele chegou ao cúmulo até de querer tirar do conselho pessoas que o apoiaram na eleição”, explicou Granata.

Continua após a publicidade

Após a ruptura com Wagner, o conselheiro se aliou a Gilvan de Pinho Tavares. O principal objetivo dos dois é evitar que Bruno Vicintin, ex-vice- presidente de futebol do Cruzeiro e Toninho, responsável pela base do clube, sejam expulsos do quadro de conselheiros. 

“Continuamos batendo na tecla de manter o mesmo conselho que já estava. São 220 conselheiros efetivos e 110 suplentes. Tenho documento assinado pelo Wagner de que nada iria se alterar”, completou.

A intenção da oposição, composta por Zezé Perrella e Wagner Pires de Sá, é de modificar alguns dos nomes ligados a Gilvan de Pinho Tavares no conselho, para conseguir enfraquecer o atual mandatário da Raposa, que vai deixar o clube agora em dezembro.

O momento político vivido pelo Cruzeiro é bastante conturbado. Gilvan e Wagner romperam ligação após a nomeação de Itair Machado como vice-presidente de futebol. Além disso, o novo homem forte do futebol celeste vem se desentendendo publicamente com Bruno Vicintin, que deixou a Raposa após a eleição presidencial.