‘Aedes do Bem’ são liberados em Juiz de Fora

Digiqole Ad

Os chamados “Aedes do Bem”, insetos geneticamente modificados para o combate à dengue, zika, chikungunya e febre amarela urbana, serão lançados pela primeira vez nesta quinta-feira, 30, em Juiz de Fora, na Zona da Mata.

Os “Aedes do Bem” são mosquitos machos que não picam, portanto, não transmitem doenças. Liberados no meio ambiente, copulam com fêmeas do Aedes aegypti e geram insetos que não se espalham e que morrem antes de atingirem a idade adulta.

No município mineiro, o projeto é uma parceria entre a prefeitura e a empresa Oxitec do Brasil. Os descendentes do “Aedes do Bem”, segundo informações da Secretaria de Saúde da cidade, “herdam também marcador fluorescente, que permite que sejam identificados no laboratório, facilitando seu acurado monitoramento e a avaliação da eficácia durante todo o programa de uso da tecnologia”.

Os primeiros “Aedes do Bem” devem aparecer em 30 dias. Apesar da utilização da nova tecnologia, persiste o alerta para que a população não abandone cuidados contra a proliferação do Aedes aegypti. O resultado do projeto na cidade será conhecido entre quatro e seis meses, conforme a secretária municipal de Saúde, Elizabeth Jucá.

“Estamos muito otimistas quanto aos resultados deste projeto. No entanto, é fundamental que a população continue tirando seus dez minutos contra a dengue, todas as semanas. O ‘mosquito do bem’ fará sua parte. Se a população também fizer, estaremos cada dia mais protegidos”, afirmou.

Veja também:

Apoio:

Alexandre Santos Gomes advogado em Capinópolis

Central de Jornalismo

https://www.tudoemdia.com

Leia também

Bloqueador de Publicidade

Detectamos um bloqueador de publicidade no seu navegador. Por gentileza, apoie o jornalismo independente brasileiro

Refresh

error: A cópia do conteúdo do Tudo Em Dia é proibida