Após os fracassos dos técnicos da nova geração Roger Machado e Rogério Micale, o Atlético apostou no experiente Oswaldo de Oliveira para afastar o risco de rebaixamento e tentar levar o clube à disputa da Copa Libertadores. Alguns até o enxergavam como um treinador tampão, pois o preferido para comandar a equipe em 2018 seria Cuca. Entretanto, a mudança de postura do Galo em campo e o respaldo dos atletas ao trabalho fizeram Oswaldo ganhar moral e ser o escolhido para planejar e comandar o alvinegro na próxima temporada.

Independentemente se o clube conseguir a classificação para o torneio continental ou não, a evolução com o novo comandante é evidente (veja infográfico). O técnico conseguiu recuperar alguns atletas, como Fred e Robinho, fez crescer o futebol de Otero, o time ganhou um padrão tático e ficou mais equilibrado. O Galo passou ainda a mostrar mais segurança atuando como mandante, o que não vinha acontecendo com os comandantes anteriores.

Com Oswaldo, o Atlético é um dos melhores times do segundo turno do Campeonato Brasileiro, e estaria brigando pelas primeiras posições se não tivesse sido tão irregular na primeira metade do torneio. O goleiro Victor ressaltou a importância do treinador para o alvinegro chegar ao fim do ano com chances de Libertadores e boas perspectivas para o ano que vem. “Depois de tantas dificuldades, chegar à última rodada brigando por uma vaga na Libertadores é algo positivo. Temos que enaltecer a campanha após a chegada do Oswaldo”, afirmou o goleiro.

Continua após a publicidade

O lateral-esquerdo Fábio Santos também elogiou o treinador. “Acredito que o planejamento para 2018 deveria começar com a permanência do técnico, que, sem dúvida nenhuma, fez por merecer. Ele deu outra cara para o nosso time, recuperou jogadores importantes.”