ARAGUARI, MINAS GERAIS – Uma bebê teve a cabeça arrancada durante um procedimento de parto em Araguari. O caso ocorreu no dia (30) de outubro.

A dona de casa Tânia Borges Vieira da Silva, moradora de Tupaciguara, aguardava ansiosa o nascimento de Rebeca e sentiu dores no dia 24 de outubro e se deslocou até a policlínica de Tupaciguara e posteriormente, para Araguari, onde teria condições mais adequadas para o parto.

 A Santa Casa de Araguari comunicou à gestante que ainda não era a hora do parto e Tânia voltou à Tupaciguara. A gestante retornou à Santa Casa no dia seguinte, por acreditar que a hora do parto já se aproximava, mas foi informada, novamente, que o momento do parto ainda não havia chegado.

Cinco dias depois (30) de outubro, foi novamente encaminhada à Santa Casa em Araguari e teria ouvido a enfermeira dizer – durante o trajeto – para que o motorista acelerasse, caso contrário, mãe e filha poderiam morrer. O motivo da preocupação era a posição pélvica que a criança se encontrava – posição (sentada). O parto normal iniciou e a criança ficou com a cabeça presa no quadril da mãe e, segundo relatos dela à reportagem da Tv Vitoriosa, devido à força usada para tentar retirar o bebê da barriga, a cabeça foi separada do corpo.  Tânia conta que foi preciso fazer uma cesárea para retirar a criança. Ela conta ter perdido muito sangue e precisado ficar na UTI por dois dias.

Uma ação judicial foi impetrada pela família contra a Santa Casa. O administrador da Santa Casa de Araguari disse à reportagem da emissora que já está respondendo pelo caso judicialmente e que não irá prestar nenhum esclarecimento à imprensa.


DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here