Foram oito meses esperando para soltar o grito da vitória, mas enfim os primeiros três pontos em casa do Camponesa-Minas nesta Superliga Feminina vieram. Nesta sexta-feira (1), o time da rua da  Bahia derrotou o forte Hinode-Barueri, do técnico José Roberto Guimarães, por 3 sets a 0. Apesar dos resultados negativos em casa – o Minas perdeu todos os jogos que disputou na Arena – a torcida compareceu em bom número, não deixou de acreditar e foi premiada com a vitória.

As parciais do triunfo minastenista foram 25/16, 25/20 e 25 a 14. Eleita a melhor em quadra, Pri Daroit ficou com o Troféu Viva Vôlei. Na próxima rodada, o Minas tentará fazer sequência positiva, já que recebe o modesto Renata Valinhos-Country Clube, no dia 5 de dezembro, às 21h30, na mesma Arena JK.

A última vitória em casa do Camponesa-Minas pela Superliga Feminina havia ocorrido no longínquo mês de março, quando a equipe da capital mineira bateu o Bauru, por 3 a 2, pelas quartas de final da última edição do torneio. Mas nesta sexta-feira, as mineiras pareciam estar dispostas a derrubar qualquer tabu.

Continua após a publicidade

Mais uma vez com o time titular em quadra, o Minas começou avassalador. Jogadas ensaiadas, saque acertado e ritmo acelerado de jogo deram o tom da fácil vitória por 25 a 16. O Barueri, contudo, também deu sua parcela de ajuda. Jaqueline fez apenas dois pontos no jogo, as jogadas pelo meio insistiam em não funcionar e Suelle era caçada no passe. Para se ter uma ideia, o set mais equilibrado, o segundo, foi fechado em 25 a 20.

Na terceira etapa Priscila Daroit, que vem sendo a jogadora mais regular da Superliga continuou despejando ataques. O técnico José Roberto Guimarães tentou de tudo. Trocou jogadoras em todas as posições. Mas a torcida do Minas fez Carnaval nas arquibancadas e o Minas fechou o show em quadra fazendo 25 a 14.