Manter Hudson no Cruzeiro é um pedido especial feito pelo técnico Mano Menezes, que vem cobrando da direção uma resposta imediata sobre a sua continuidade. Porém, o esforço da nova direção para chegar a um acordo com o São Paulo, pode resultar no pagamento da compra dos direitos econômicos do atleta até 2019 e ainda perder o também volante Ariel Cabral.

De acordo com informação recebida pelo SuperFC, com uma pessoa que vem participando de toda a negociação entre o Cruzeiro e o São Paulo, a Raposa tenta um acordo com o tricolor para pagar o valor previsto em contrato, de R$ 5,7 milhões, em seis parcelas trimestrais, começando a primeira, em janeiro de 2018.

Desta feita, a direção celeste gastaria cerca de R$ 1 milhão a cada três meses para pagar o valor da multa de Hudson e encerraria o valor do acerto ao final de 2019. O São Paulo aceita tal situação, já que está prevista em contrato, mas tenta um acordo para receber esta quantia de forma menos fatiada.

Continua após a publicidade

Segundo apuração do SuperFC, o tricolor paulista desejou incluir o volante Ariel Cabral na negociação, como forma de abater o valor para “facilitar” a compra por parte do Cruzeiro. O nome do argentino foi levado a direção do São Paulo por Lucas Pratto, que em reunião com os dirigentes cobrou um time mais forte para 2018.

Ariel Cabral e Lucas Pratto atuaram juntos por vários anos com a camisa do Vélez da Argentina e se separaram justamente em Belo Horizonte, quando cada atleta foi para um clube rival. O nome do volante agradou o tricolor, mas liberar o argentino não faz parte dos planos de Mano Menezes, que gosta do jogador que se recupera de lesão.

A negociação entre as duas diretorias segue acontecendo, mas sem um desfecho próximo. Itair Machado tem sido o responsável em fazer toda a tentativa de acordo. O que atrasou as conversas foi a negociação, paralela, da venda do lateral-esquerdo Edimar ao São Paulo. O tricolor chegou a um acordo de valores com a atual diretoria azul, presidida por Gilvan de Pinho Tavares. E a quantia de R$ 350 mil prevista para que a Raposa libere o lateral, não agradou ao novo mandatário, Wagner Pires de Sá.

Apesar disso, como está em contrato a liberação com um “desconto”, o São Paulo vai ficar com o seu lateral titular para 2018 de forma definitiva. Tal valor, também não poderá ser abatido na negociação envolvendo Hudson, o time paulista e o Cruzeiro, o que também não agradou a nova direção azul.