MOSCOU, RÚSSIA. As 32 seleções mundiais vão conhecer seus adversários na Copa do Mundo da Rússia nesta sexta-feira (1), às 13h, quando será realizado o sorteio que define os grupos da competição, com cabeças de chave como Brasil e Argentina torcendo para evitar a Espanha, a mais temida do pote 2.

O ranking mundial, no qual a Fifa se baseou para distribuir as equipes participantes em quatro potes, quis que a Espanha, oitava colocada da classificação no mês de outubro, deixasse seu lugar entre os cabeças de chave para a Rússia, anfitriã da Copa do Mundo.

“Queria evitar a Espanha no grupo da Copa porque seria um adversário muito difícil”. Essas recentes palavras de Lionel Messi, o capitão da Argentina, resumem o que pensam os oito cabeças de chave: Brasil, Argentina, Alemanha, França, Bélgica, Portugal, Polônia e Rússia.

Continua após a publicidade

Após as decepções na Copa do Mundo do Brasil, em 2014, e na Eurocopa 2016, Julien Lopetegui recuperou o sistema de toque de bola que levou a Espanha a conquistar dois títulos continentais (2008 e 2012) e a Copa da África do Sul, em 2010. “Se há uma equipe a evitar, é a Espanha. Se outros pegarem eles, será bom”, declarou o técnico da França, Didier Deschamps.

A priori, as cinco seleções apontadas pelos especialistas como favoritas a conquistar o título são Alemanha, Brasil, Argentina, França e Espanha. E a “Roja” é a única que não faz parte do pote 1, reservado aos cabeças de chave.

Na teoria, Brasil e Argentina teriam mais chances de esbarrar com a Espanha, devido à regra do sorteio que impõe duas seleções do Velho Continente por grupo.

O sorteio será realizado no Palácio do Kremlin e será apresentado pelo ex-jogador inglês Gary Lineker e pela jornalista Maria Komandnaya.

Sorteios de outras edições da Copa do Mundo guardam boas histórias para lembrar

1930 (Uruguai). A primeira edição foi feita por convite, com 13 países. O sorteio foi efeito após a chegada de todos os times, a três dias do início da competição.

1938 (França). Uma criança sobe na mesa para tirar os nomes dos times de dentro de uma grande jarra transparente. A “mão inocente” era do neto de Jules Rimet, presidente da Fifa e criador da Copa do Mundo.

1966 (Inglaterra). Antes desse Mundial, o sorteio fez história ao ser transmitido pela primeira vez pela televisão, desde o Royal Garden Hotel de Londres.

1974 (Alemanha Ocidental). Dessa vez, a “mão inocente” foi de um jovem de 11 anos, integrante de um coro de Berlim. Alemanha Ocidental e a Alemanha Oriental ficaram no mesmo grupo. O país estava dividido, e o sorteio caiu como uma bomba geopolítica.

1982 (Espanha). As bolas se dividiram em uma espécie de simulador de máquina de lavar que ia misturando os nomes. Houve um problema mecânico com uma delas e isso criou problemas para a realização do sorteio. Foi quando a Fifa decidiu voltar aos sorteios manuais.

1989 (Itália, 1990). O sorteio de Roma teve um antes e depois. Foi realizado pelo então secretário geral da Fifa, Joseph Blatter, ao lado da atriz Sophia Loren. Foi o primeiro dos grandes shows.

1993 (EUA, 1994). O espetáculo fica ainda maior. O Centro de Convenções de Nevada, em Las Vegas, se encheu com 4.500 pessoas para um sorteio-show com atuação do cantor americano James Brown.

1997 (França, 1998). Um jogo de gala entre uma seleção da Europa e outra do resto do mundo, com vitória por 2 a 0 para os europeus, foi realizado no estádio de Marselha. Foram 32 jogadores, um para cada país classificado, entre eles Ronaldo (Brasil) e Zinedine Zidane (França), que depois se enfrentaram na final.

2005 (Alemanha, 2006). Os organizadores levaram personalidades como Pelé, Lothar Matthäus e Johan Cruyff até Leipzig, para um sorteio que teve a modelo Heidi Klum como mestre de cerimônias. O evento foi visto por 300 milhões de pessoas em 150 países.

2009 (África do Sul, 2010). Na Cidade do Cabo, a atriz Charlize Theron ajudou Jérôme Valcke, então secretário-geral da Fifa, a realizar o sorteio. A estrela do cinema sul-africano brincou no teste final ao gritar “Irlanda” em vez de “França”, surpreendendo a todos. “Foi só uma piada”, explicou Valcke. O motivo da brincadeira foi a eliminação dos irlandeses na repescagem contra os franceses, graças a um gol que Thierry Henry marcou com a mão.

2013 (Brasil, 2014). O sorteio foi realizado na Costa do Sauípe e homenageou o ícone da luta contra o apartheid, Nelson Mandela, morto na véspera. O discurso da presidenta Dilma Rousseff anunciou a chegada da “Copa das Copas”.