Com um desafio do tamanho de um Mundial de Clubes batendo à porta, tudo que o Sada Cruzeiro poderia evitar era um desgaste. Um cansaço maior do que o time está acostumado pode aparecer nesta reta final antes do embarque para a Polônia. Neste sábado (2), o atual líder da Superliga Masculina encara o Vôlei Renata-SP na Arena Amadeu Teixeira, em Manaus (AM), colocando uma longa viagem de ida e volta no caminho azul.

Lamentar das várias horas de voo, do calor e da umidade da capital amazonense seria compreensível para um time que só pensa em chegar em boas condições físicas em território polonês. Mas não é o que os atletas do Sada estão pensando. Além da liderança da Superliga, eles encaram o jogo em terras manauaras como uma preparação ainda mais intensa

“Agora não é hora de reclamar, precisamos ter o pensamento positivo presente a todo momento nestas últimas horas antes do Mundial. Prefiro colocar essa viagem para Manaus como uma espécie de aquecimento. Nosso planejamento está muito bem feito, redondo e essa viagem longa pode ser útil pra gente se habituar com que vamos enfrentar em breve. Para ficar perfeito, só faltava Manaus ter o fuso e o frio da Polônia”, brinca o líbero Serginho.

Continua após a publicidade

Do outro lado da rede, o Vôlei Renata também tem suas motivações. Além de precisar exibir o seu melhor voleibol para tentar vencer um dos melhores times do mundo, o time campineiro precisa da vitória para não correr o risco de terminar o turno da Superliga na oitava posição. Afinal, o último do G-8 vai pegar o Sada Cruzeiro na Copa Brasil.

“Será um jogo complicado, contra um time candidato ao título e de bastante qualidade. Mesmo assim, viajamos confiantes em fazer outro bom jogo e somar pontos. Sabemos das dificuldades, mas estamos preparados para encará-los”, comentou o central Salsa, do time paulista.

Será a primeira vez que o Sada atuará no Norte do Brasil. A expectativa da CBV, ao levar o jogo para lá, é popularizar o vôlei.