Não há palavra que resuma a vitória do Dentil-Praia Clube na noite desta sexta-feira (1) pela Superliga Feminina. O histórico placar de 3 sets a 0 impostos em plena Arena Jeunesse, no Rio de Janeiro, é mais que convincente. É de lavar a alma, erguer a cabeça e fazer o torcedor sonhar: esse time tem sim muita chance de vencer a competição. Após dez anos tentando, o time do Triângulo finalmente conseguiu fazer com que as comandadas de Bernardinho sentissem o sabor amargo de ser superado por uma equipe superior.

E agora? Quem vai parar o sexteto que, em toda a Superliga perdeu apenas um set, lidera com folga, joga o melhor voleibol e está focado no título? Se todos apostavam no Rio, que apostem em outro. O Praia fez 25 a 16, 25 a 23 e 25 a 16. Na próxima rodada, vai ser a vez do Hinode-Barueri tentar o que parece impossível, no dia 8, às 19h15. Mas vai precisar de muito voleibol. O ginásio do Praia, com certeza, estará um caldeirão.

Soberano. O destaque da partida ficou por conta da coletividade do Praia, que sabendo do seu potencial, jogou de forma versátil, abusando da tática e das jogadas treinadas a exaustão. Assim, o passeio foi se desenhando sob um Sesc-RJ dominado, acuado de uma forma que o torcedor do vôlei não está acostumado a ver. Parece até que o técnico Bernardinho estava perdido. Ele tentou, mexeu em quase todas as posições, mas nada deu certo. A noite no Rio, nesta sexta, era mesmo de Praia.

Continua após a publicidade

Com tanta qualidade e com todo mundo jogando bem, coube ao torcedor escolher, por votação, a melhor em quadra. E o jogo foi tão bom, que a escolha acirrada foi decidida por pequena diferença de votos. Melhor para a oposta Nicole Fawcett, que ficou com o Troféu Viva Vôlei. Ela mereceu, Garay também. Aliás, o Viva Vôlei correto seria: Claudinha, Fawcett, Walewska, Fabiana, Garay, Amanda e Suelen.


Comments are closed.