A forte chuva que atingiu Belo Horizonte neste domingo causou alagamentos e transtornos, causando temor entre moradores e caos no trânsito.

Foram registrados alagamentos em várias avenidas da cidade, como a Cristiano Machado, no Nordeste da capital, e a avenida Heráclito Mourão de Miranda, na região da Pampulha. O córrego do Onça transbordou e vários outros chegaram próximo do limite, levando ao fechamento de vias. Uma cratera gigante se abriu no centro da capital e, por sorte, ninguém se feriu. Desde o início do período chuvoso, quatro pessoas morreram em Minas.

A região Oeste da cidade somou, em três dias, o equivalente a 70% do volume de chuva esperado em todo o mês de dezembro. Com as precipitações de domingo, a regional somou 224,2 milímetros de chuva. Na região Noroeste da capital, choveu 62% da média histórica mensal, de 319,4 mm.

Na avenida Clóvis Salgado, no bairro Santa Terezinha, um córrego transbordou e transformou a rua em um “rio”. Pelas redes sociais, leitores do portal O TEMPO enviaram vídeos mostrando que Avenida Brigadeiro Eduardo Gomes, no bairro Glória, região da Pampulha, também ficou alagada e que a água arrastou carros e invadiu estabelecimentos comerciais.

Continua após a publicidade

Moradores do primeiro andar de um condomínio localizado quase na esquina do cruzamento entre as avenidas Heráclito Mourão de Miranda (Atlântida) e Amintas Jaques ficaram apavorados com a água que invadiu os apartamentos. “Eu nunca tinha visto uma coisa dessas. A minha sorte é que tenho uma área e fui puxando a água com o rodo”, contou a moradora Simone Félix.

A polícia e os Bombeiros fecharam vias da região para evitar a passagem de veículos. Segundo alguns moradores que fizeram contato com O TEMPO, um lixão no bairro Castelo foi alagado: pneus e entulhos foram arrastados.

O córrego do Onça saiu do leito causando alagamentos na avenida Cristiano Machado, próximo à estação São Gabriel, que foi interditada pela Guarda Municipal. A avenida Sebastião de Brito também ficou alagada e foi interditada, com o objetivo de minimizar riscos de motoristas e pedestres. O nível dos córregos Ressaca, Sarandi, Leitão, Vilarinho e Ferrugem também subiu.

Ao todo, entre sábado e domingo, 116 ocorrências foram registradas na cidade por causa da chuva, a maioria delas relacionada a desabamentos de muros de arrimo e a deslizamentos de encostas.

Por causa do temporal, a prefeitura de Belo Horizonte cancelou o show do Sepultura na praça da Estação, que ocorreria neste domingo (3/12), dentro das comemorações do aniversário de 120 anos de Belo Horizonte. Um nova data para o show está sendo estudada entre a produção da banda e a Belotur.

Na manhã de domingo, uma enorme cratera se formou na rua Tamoios, próximo ao Viaduto Santa Tereza, no centro de BH. Por sorte, ninguém passava no local no momento. O quarteirão entre a avenida dos Andradas e a rua da Bahia foi interditado pela BHTrans. Segundo a Copasa, que esteve no local, houve problema na galeria pluvial – redes de água de chuva –, de responsabilidade da prefeitura.

Previsão
Esta semana deve ser de mais chuva na capital mineira, que pode registrar mais 100 mm de precipitação entre segunda e sexta-feira. No restante do Estado, a semana também será chuvosa.

De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), há previsão de pancadas de chuva todos os dias na capital, pelo menos até quinta-feira. A partir desta segunda, as chuvas serão acompanhadas de trovoadas isoladas.

Em todo o Estado, há possibilidade de chuva ao longo da semana. Nesta segunda, segundo a previsão, haverá precipitações nas regiões Norte, Jequitinhonha, Mucuri e Rio Doce. Haverá, ainda, pancadas de chuva nas regiões Noroeste, Central e Metropolitana.

 
 

 

 
 
 
 

Comments are closed.