CAPINÓPOLIS, MINAS GERAIS – A 2ª praça do leilão da usina Vale do Paranaíba, instalada em Capinópolis, foi finalizado na tarde desta terça-feira (5). A usina pertence à Massa Falida da Laginha Agro Industrial S/A, de propriedade do falido Grupo João Lyra.

A Vale recebeu um lance na 1ª praça do leilão no valor de R$206.358,000,00 (Duzentos e Seis Milhões, Trezentos e Cinquenta e Oito Mil Reais) no dia 30 de novembro. De acordo com informações extra-oficiais, o lance foi efetuado por meio do site da leiloeira Super Bid – Canal Judicial pelo Grupo Japungu.

A 2ª praça foi encerrada às 14h01 desta terça-feira (5) e a partir de agora, a capacidade de pagamento do grupo comprador deverá ser analisado para que os tramites legais da venda sejam concluídos. As formas de pagamento ainda não foram divulgadas.

Continua após a publicidade

 Em outubro deste ano, a proposta apresentada pela Cambuí Açúcar e Álcool para comprar a usina sucroalcooleira Vale do Paranaíba por R$ 80 milhões foi rejeitada. Neste caso, o leilão da unidade sucroalcooleira se apresentou mais vantajoso que a venda direta.

Em Capinópolis, uma grande alegria tomou conta da população com a notícia da venda da usina. O falido Grupo João Lyra tem um passivo trabalhista no valor aproximado de R$180 milhões e milhares de trabalhadores alimentam a esperança de receber seus direitos trabalhistas.

A Usina Triálcool, instalada no Município de Canápolis, não recebeu nenhum lance na 1ª praça e está disponível para compra no leilão até o dia 07/12 – a unidade também não recebeu lances na 2ª praça. O valor do lance inicial caiu para R$133.826.220,00 (Cento e Trinta e Três Milhões, Oitocentos e Vinte e Seis Mil, Duzentos e Vinte Reais) – uma redução de mais de quase R$90 milhões referente a pedida inicial.

BENS IMÓVEIS – 17 imóveis rurais com uma área de aproximadamente 3.210,4429 Hectares, com suas divisas e confrontações determinadas nas matrículas abaixo, e com área construída de 7.363,35 m² aproximadamente, além do pátio pavimentado da usina com aprox. 51.300m² e uma pista de pouso de 20.000m²: Matrículas 3543 e 3564 do CRI de Capinópolis com área bruta de 242,5100, denominada propriedade administrativa Fazenda Paranaiba/G-7; Matrícula 8543 do CRI de Ituiutaba com área de 182,2996, denominada Fazenda Córrego do Açude; Matrícula 689 do CRI de Ituiutaba com área de 57,5300, denominada Fazenda Primavera; Matrícula 3542 do CRI de Capinópolis com área de 70,6776, denominada Fazenda Queixada Baú; Matrículas 2831 e 2832 do CRI de Capinópolis com área de 100,1708, denominada Fazenda Vargem da Barriguda; Matrícula 1987 do CRI de Capinópolis com área de 54,8700, denominada Fazenda Redenção Arco Iris; Matrícula 3069 do CRI de Capinópolis com área de 72,7900, denominada Fazenda Santo Antônio; Matrículas 5019, 5021 e 4786 do CRI de Capinópolis com área de 93,1300, denominada Fazenda Córrego do Queixada; Matrícula 4527 do CRI de Capinópolis com área de 141,7100, denominada Fazenda Bonanza; Matrícula 1602 do CRI de Capinópolis com área de 97,4400, denominada Fazenda Triângulo Quilombo; Matrícula 3981 do CRI de Capinópolis com área de 181,2200, denominada Fazenda Córrego das Flores I; Matrículas 1631, 1180 e 1686 do CRI de Capinópolis com área de 63,0200, denominada Fazenda N S Aparecida; Matrícula 5258/102 do CRI de Capinópolis com área de 729,6800, denominada Fazenda Córrego das Flores II; Matrícula 4786 do CRI de Capinópolis com área de 3,5929, denominada Fazenda Córrego do Queixada; Matrículas 2203 e 5125 do CRI de Capinópolis com área de 117,9100, denominada Fazenda Sertãozinho VI; Matrícula 15945 do CRI de Ituiutaba com área de 3,0620, denominada Fazenda Monte Azul; Matrícula 2804 do CRI de Ituiutaba com área de 3,6300, denominada Fazenda Sítio Amélia; Matrículas 14462, 14463 e 15767 do CRI de Coromandel com área de 995,2061, denominada Fazenda Mesas.
Valor de Avaliação da Terra Nua: R$ 79.105.000,00 (setenta e nove milhões cento e cinco mil reais).
Valor de Avaliação das Edificações: R$ 7.300.000,00 (sete milhões e trezentos mil reais).

BENS MÓVEIS – EQUIPAMENTOS INDUSTRIAIS, relacionados no Item 7.5 do Laudo de Avaliação de Fls. 30.488 e 30.490, contendo: balança rodoviária, caldeira de alta pressão, centrifuga, coluna de resfriamento, compressor de ar, desfibrador, destilaria, disjuntor, distribuidor de bagaço, equipamento de açúcar (caldeira, destilaria, fabricação, tratamento de caldo), equipamento de recepção de cana, equipamentos de laboratório em geral, esteiras rolantes, evaporador, gerador, moenda, peneira rotativa, picador, ponte rolante, secador de açúcar, silo metálico vertical, tanque de processo (caldeiras, destilaria, fabricação de açúcar, preparo da cana), tanque de álcool, tombador e turbina a vapor.
Valor de Avaliação dos Equipamentos: R$ 119.953.000,00 (cento e dezenove milhões novecentos e cinquenta e três mil reais).


Comments are closed.