TJAL reconhece resultado do leilão da Vale do Paranaíba

Paulo Braga / Tudo Em Dia

O Tribunal de Justiça de Alagoas (TJAL) reconheceu o resultado do leilão judicial da Usina Vale do Paranaíba, finalizado na última terça-feira (5) de dezembro. A usina, que pertence à Massa Falida da Laginha Agro Industrial S/A., foi vendida por R$206.358,000,00 (Duzentos e Seis Milhões, Trezentos e Cinquenta e Oito Mil Reais) – o lance único foi efetuado no dia 30 de novembro no site da leiloeira Super Bid. O leilão foi estendido à 2ª praça até o dia 05 de dezembro, mas nenhum outro interessado efetuou lance.

Publicidade

A CRV Industrial Ltda (Grupo Japungu), foi a vencedora do leilão. A empresa fica instalada em Carmo do Rio Verde (GO) e está ativa desde 2005.

Na proposta apresentada pela CRV Industrial Ltda, R$51.589.500,000 (Cinquenta e Um milhões, Quinhentos e Oitenta e Nove Mil e Quinhentos Reais), que correspondem a 25% do valor do leilão, serão pagos na próxima segunda-feira (11) de dezembro. Outras 9 parcelas semestrais serão pagas nos próximos anos.

Em outubro de 2017, a Cambuí Açúcar e Álcool tentou comprar usina sucroalcooleira Vale do Paranaíba por R$80 milhões, mas a proposta foi rejeitada. O leilão da unidade sucroalcooleira alcançou 100% do valor da avaliação dos ativos.

A notícia da venda da Vale do Paranaíba deixou a região do Pontal do Triângulo Mineiro em festa, principalmente, Capinópolis, que sofre com uma grande recessão desde 2013, quando a Laginha Agro Industrial S/A., decretou falência e deixou um grande caos social e financeiro.

Lideranças foram à Alagoas em Julho de 2017 em busca de solução para caso da Vale do Paranaíba / foto: Arquivo Tudo Em Dia

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Capinópolis, Alan Santana, comemorou o resultado. “Foi excelente, independente de quem seria o comprador. Haverá abertura de muitos postos de serviço tanto no rural quanto no urbano”, disse o presidente, que acredita que os trabalhadores já poderão receber parte dos seus direitos – “Segundo o que nos foi passado pelo administrador judicial, haverá pagamento de credores somente quando acumular capital suficiente para pagar um valor significativo para cada credor trabalhista. Logo, como o valor dos créditos da classe 1 são em torno de R$ 200 milhões, provavelmente, poderá haver pagamentos parciais aos trabalhadores.”, pontuou o presidente ao Tudo Em Dia.

O prefeito de Capinópolis, Cleidimar Zanotto, esteve com o presidente do Grupo Japungu nesta semana. “Eles estão aguardando a liberação e aceite da proposta, se der certo, as terras já começarão a ser preparadas para o plantio”, disse o prefeito ao Tudo Em Dia.

Cleidimar Zanotto acompanhou todo o processo de falência da Vale do Paranaíba, desde a decretação de falência em 2013 e viajou várias vezes à Alagoas para se encontrar com lideranças, juízes e desembargadores que estavam à frente do processo. “Por várias vezes fomos até Alagoas para acompanhar o processo de falência e cobrar celeridade dos envolvidos. Assistimos a várias manobras judiciais que nos entristeceram, porém, nunca desistimos de acreditar em um resultado positivo para o caso. O leilão da Vale do Paranaíba renova as esperanças de um futuro promissor, não só para Capinópolis, mas para toda a região”, finalizou o prefeito.

A CRV Industrial encerrou no dia 05 de novembro, sua 16ª Safra. Foram 202 dias em atividade, com moagem de 1,6 milhões toneladas de cana.

 

Publicidade

Assista: ‘Agricultura Produtos Agrícolas’ comemora 5 anos de sucesso

Publieditorial

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite o comentário
Por favor, digite seu nome