Diante da grande movimentação de veículos em busca de uma vaga no entorno da praça da Liberdade, localizada na região Centro-Sul de Belo Horizonte e que é visitada por milhares de pessoas nesta época do ano por conta da iluminação natalina, 12 olhadores de carro aproveitaram para cobrar preços abusivos neste domingo (10) e acabaram detidos pela Polícia Militar (PM). Os suspeitos cobravam R$ 30 dos motoristas por uma vaga pública. 

O sargento Valdemir Gonçalves, da 4ª Companhia do 1º Batalhão da PM, atendeu a ocorrência e conta que a corporação recebeu dezenas de ligações no 190 denunciando a atuação destes flanelinhas. “Devido ao grande número de reclamações, montamos uma operação e, no local, conseguimos abordar 12 destes flanelinhas, sendo que nenhum deles era cadastrado na prefeitura”, explica. 

Os olhadores autorizados a atuar nas ruas da capital mineira precisam ser cadastrados na Prefeitura de Belo Horizonte, que disponibiliza um crachá e um colete, sendo orientados ainda a não cobrarem valores fixos, já que fica a critério do motorista se irá ou não contribuir.

Continua após a publicidade

“Os 12 flanelinhas foram conduzidos até a Central de Flagrantes (Ceflan), onde ficaram à disposição do delegado. Eles assinaram um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) por exercício ilegal de profissão e serão intimados posteriormente pela Justiça”, concluiu o sargento.

 

Preço abusivo

Para se ter ideia, uma pesquisa feita pelo site Mercado Mineiro aponta que o preço médio cobrado pela hora em um estacionamento em Belo Horizonte é de cerca de R$ 10, sendo que o menor preço encontrado foi de R$ 4 e o maior de R$ 16. 

Ao cobrar R$ 30 por uma vaga pública, os flanelinhas atingiram o preço médio para a diária nos estacionamentos de BH, ainda conforme a pesquisa do site que compara preços de diversos produtos, que é de R$ 32.  


Comments are closed.