A advogada Samantha Ribeiro Meyer, indicada para o Conselho da Itaipu Binacional, disse nesta terça-feira (12) em nota, que a indicação dela para o cargo é “técnica, tendo em vista suas qualificações profissionais”. Ex-mulher do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) e presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Gilmar Mendes, de quem se divorciou há 12 anos, Samantha assinou parecer usado pela defesa do presidente Michel Temer na ação movida pelo PSDB que pediu a cassação da chapa Dilma-Temer.

Na função, ela receberá R$ 25 mil por mês e terá mandato até 2020. No comunicado, a assessoria da advogada destaca a atuação profissional – ela é doutora em direito pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), é professora universitária, membro do Conselho Superior de Direito da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) e titular da cadeira 77 da Academia Paulista de Letras Jurídicas (APLJ). Procurada, a Itaipu afirmou que a nomeação é uma prerrogativa da Presidência da República e que a binacional não faz qualquer comentário a respeito.

Nomeações

Continua após a publicidade

Nesta terça-feira, Temer nomeou também o engenheiro agrônomo Newton Luiz Kaminski para o cargo de diretor de Coordenação de Itaipu, de acordo com decreto publicado no Diário Oficial da União (DOU). Atual superintendente de Obras e Desenvolvimento da estatal, Kaminski entrará no lugar de Hélio Gilberto Amaral, que foi exonerado, a pedido. Amaral havia assumido o cargo em junho.

Outro conselheiro apontado foi o advogado Frederico Matos de Oliveira, que atua como diretor do Departamento de Articulação com os Estados e o Distrito Federal da Subchefia de Assuntos Federativos da Secretaria de Governo da Presidência da República

 


Comments are closed.