O Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) elevou nesta terça-feira (12) a pena de Diandra Lamounier Morais de Melo para dois anos e dois meses em regime aberto por atropelar a modelo Paola Antonini em 27 de dezembro de 2014. A vítima precisou amputar a perna esquerda em decorrência do acidente.

Apesar de elevar a pena inicial, que era de um ano e seis meses, a 1ª Câmara Criminal do TJMG decidiu manter a substituição da pena por prestação de serviços comunitários, o que é chamado de “pena restritiva de direito”. O local em que Diandra Melo deve prestar os serviços à comunidade será decidido em outro momento.

O Tribunal mineiro aumentou também o período em que a acusada terá sua carteira de habilitação (CNH) suspensa. Inicialmente, ela não poderia dirigir por seis meses, mas com a decisão desta terça-feira o prazo foi aumentado para oito meses e vinte dias a contar da publicação do acórdão (decisão da segunda instância).

Continua após a publicidade

Diandra Melo também foi multada em dois salários mínimos.

FOTO: Reprodução / Instagram
Diandra Lamounier Morais Melo
Diandra Melo tinha 24 anos à época do acidente

Relembre o caso

Paola e seu namorado foram atropelados, no dia 27 de dezembro de 2014, em frente ao condomínio em que ela vive, quando o casal colocava malas no carro. O porteiro do condomínio contou à polícia que o Fiat 500 atingiu a traseira do Fiat Brava da jovem.

A modelo, que era muito conhecida por ter integrado a “Galera Capricho”, teve a perna esmagada e foi socorrida para o Hospital de Pronto-Socorro João XXIII, sendo transferida posteriormente para o Hospital Felício Rocho. Já o namorado da jovem teve ferimentos leves na perna.

A motorista do carro passou pelo teste do bafômetro, que indicou 0,53 mg/l, o que aponta a embriaguez. No momento do acidente, ela não portava a carteira de motorista.

Paola recebeu alta do hospital no dia 5 de janeiro.


Comments are closed.