Tentativa de homicídio por asfixia, planejamento de furto e uma possível tentativa de envenenamento. Três planos com apenas um objetivo: matar a sogra para ter o comando da empresa da família.

A situação, que pode parecer até história de novela, aconteceu em Manhuaçu, na Zona da Mata. Uma mulher de 35 anos foi presa nessa terça-feira (12) suspeita de crimes contra a mãe do marido.

Insatisfeita com o salário que ganhava na empresa, cerca de R$ 2 mil, a mulher encontrou na morte da idosa de 64 anos a possibilidade de se dar bem na vida.

Continua após a publicidade

“A família tem uma empresa e a mulher trabalhava na área administrativa. Ela achou que estava ganhando pouco e começou a fazer desvio de dinheiro. Algumas pessoas desconfiaram e, no dia 16 de junho, ela tentou matar a sogra”, explicou o delegado Henrique Mateus Rabello.

A suspeita chegou ao imóvel da vítima e, aproveitando que as duas conversavam sozinhas, enfiou uma sacola plástica na cabeça da empresária. Por sorte, uma empregada chegou e evitou o homicídio.

A vítima não denunciou à mulher à polícia, mas mandou ela embora do emprego. Em outubro, a acusada contratou homens para invadir o imóvel da sogra e furtar joias. Os ladrões não foram presos. 

“Só depois desse furto que a vítima resolveu falar o que tinha acontecido. Durante as investigações, optamos por pedir a prisão preventiva da acusada”, contou o delegado.

Em depoimento, ela afirmou que colocou a sacola na cabeça da sogra, mas evitou detalhar o caso. A suspeita foi encaminhada ao Presídio de Manhuaçu.

Adoçante “batizado”

Além da tentativa de homicídio, a Polícia Civil ainda investiga se a mulher tentou envenenar a sogra através do uso de um adoçante meses antes. Em depoimento, a idosa contou que depois de  colocar o líquido em uma bebida, ela e outras pessoas começaram a passar mal. A vítima, inclusive, foi parar no hospital. “Não temos como pedir que o líquido passe por perícia porque a embalagem foi jogada fora. No entanto, essa possibilidade não foi descartada”, finalizou o delegado.


Comments are closed.