Dois anos depois da inauguração, o Hospital Metropolitano Dr. Célio de Castro, conhecido como Hospital do Barreiro, foi entregue nesta quinta-feira (14) pela Prefeitura de Belo Horizonte em pleno funcionamento. Com todos os 460 leitos do local prontos para o atendimento, a expectativa é que o tempo de espera por atendimento nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) da capital seja reduzido em 35,6%. Apesar do pleno funcionamento, o hospital ainda não tem garantidos todos os recursos necessários.

“Nós queremos fazer obras que o povo de Belo Horizonte sinta, obras para o coração das pessoas, porque, pra erguer estátua, vamos erguer do Juscelino, do Célio de Castro, homens importantes nessa cidade. Nós queremos povoar, vida, tratar de gente. Nós transformamos um equipamento para os olhos para um equipamento que vai satisfazer o coração de famílias”, afirmou o prefeito Alexandre Kalil (PHS), durante a solenidade de entrega do funcionamento total do hospital. O governador do Estado, Fernando Pimentel (PT), também participou da cerimônia.

Com o funcionamento pleno, a capacidade de atendimento mensal do hospital é de 2.000 internações, além de 3.400 consultas de pré e pós-operatório e 20.000 exames. Além dos 460 leitos, a unidade tem 16 salas de cirurgia.

Continua após a publicidade

“Hoje, nós temos 80% menos gente nas UPAs esperando internação do que nós tínhamos no primeiro semestre deste ano, o que é um dado muito importante é muito significativo para a cidade”, afirmou o secretário municipal de saúde, Jackson Pinto.

Para o funcionamento total do hospital, são necessários R$ 21,8 milhões mensais. A previsão é que 50% dos recursos sejam financiados pelo Ministério da Saúde, o que representa cerca de R$ 11,9 milhões, mas, até o momento, as portarias publicadas pela União garantem somente R$ 3,2 milhões por mês, a partir de dezembro.

Já o governo do Estado, que deve arcar com 25% dos recursos necessários, publicou, nesta semana, uma resolução em que prevê o repasse mensal de cerca de R$ 4,9 milhões neste mês e em janeiro de 2018 para o Hospital do Barreiro e de R$ 5,3 milhões a partir de fevereiro. No entanto, o recurso ainda não foi enviado. “É evidente que há uma distância entre a publicação de uma portaria e o real aporte do recurso, mas é uma garantia do cumprimento da promessa do governador”, afirmou o secretário municipal de saúde, Jackson Pinto. 

A prefeitura é responsável pelos outros 25% dos recursos. “Nós estamos confiantes de que logo, logo, vamos contar com todos os recursos necessários. E, mesmo que esse recurso não chegue, a sensibilidade do prefeito Kalil garante o funcionamento do hospital até que os recursos sejam enviados pelos governos estadual e federal”, disse o secretário. Segundo ele, a expectativa é que União passe a destinar 50% dos recursos necessários a partir deste mês.


Comments are closed.