Mais 14 flanelinhas foram presos na noite desta quinta-feira (14) nos arredores da praça da Liberdade, na região Centro-Sul de Belo Horizonte, em uma operação da Polícia Militar (PM) para coibir as cobranças indevidas para estacionar em vias públicas.

De acordo com a PM, várias denúncias foram recebidas pela corporação na noite desta quinta pelo número 190. As vítimas disseram que os flanelinhas só permitiam que os motoristas estacionassem os veículos depois que fizessem o pagamento.

No último domingo (10), 12 flanelinhas também foram presos na praça da Liberdade. Eles cobravam até R$ 30 por uma vaga nas ruas e avenidas das imediações.

Continua após a publicidade

Nesta época do ano, a praça recebe milhares de visitantes por causa da iluminação de Natal.

Os olhadores autorizados a atuar nas ruas da capital mineira precisam ser cadastrados na Prefeitura de Belo Horizonte, que disponibiliza um crachá e um colete, sendo orientados ainda a não cobrarem valores fixos, já que fica a critério do motorista se irá ou não contribuir.

Preço abusivo

Para se ter ideia, uma pesquisa feita pelo site Mercado Mineiro aponta que o preço médio cobrado pela hora em um estacionamento em Belo Horizonte é de cerca de R$ 10, sendo que o menor preço encontrado foi de R$ 4 e o maior de R$ 16.

Ao cobrar R$ 30 por uma vaga pública, os flanelinhas atingiram o preço médio para a diária nos estacionamentos de BH, ainda conforme a pesquisa do site que compara preços de diversos produtos, que é de R$ 32.


Comments are closed.