Em uma ação conjunta com vários Estados, a Polícia Militar (PM) de Minas Gerais conseguiu desarticular, na madrugada deste domingo (17), uma quadrilha especializada em roubo a carros-fortes, bancos, mineradoras e sedes de empresas de valores que se preparava para atuar em Montes Claros, no Norte do Estado. A quadrilha também seria responsável por ações ocorridas neste ano em Unaí e Grão Mogol.

As informações iniciais da corporação indicam que a operação “Acrídeo” terminou com um confronto entre os bandidos e policiais do Batalhão de Operações Especiais (BOPE) da corporação mineira. No tiroteio, morreram Jean Carlos de Barros Dantas, o “Bereberê”, que seria o atual líder do bando, e Aldenir Quirino de Sá, o “Galeguinho de Senhora”, que inclusive é foragido da Justiça por roubo a banco.

Foram presos os irmãos Naelbe Bezerra e Jeu Julio da Silva, que traziam documentos falsos, e Yago Nunes de Souza. Com eles foram apreendidos cinco fuzis, sendo um calibre .50, duas pistolas calibre 9 mm, farta munição calibre .50, 7,62 mm, 7,62 curto e 9 mm. Com a quadrilha estavam ainda 20 kg de explosivos, veículos, uma chapa de aço que seria instalada no veículo para usarem como escudo na ação e outros equipamentos que seriam usados no roubo.

FOTO: PMMG / DIVULGAÇÃO
QUADRILHA NORTE DE MINAS
Um grande arsenal foi apreendido durante a operação
Continua após a publicidade

A operação foi fruto do compartilhamento de informações entre a PM mineira e a de Goiás, a Polícia Federal da Bahia e do Distrito Federal, a Força Tarefa de Segurança Pública do Estado da Bahia, Secretaria de Segurança Pública do Paraná, a Polícia Civil de Sergipe e outras corporações.

Segundo a PM, a quadrilha era liderada por Carlos Jardiel de Barros Dantas, “Jardiel Cabeção”, morto em confronto com a polícia de Goiás em maio desse ano quando se preparava para executar um roubo a carro-forte na região da cidade goiana Aragarças.

Após a morte dele, a liderança da quadrilha foi assumida por Jean “Bereberê”, que é irmão de Jardiel e que foi morto neste domingo em Minas. Já sob a liderança dele a quadrilha sofreu um novo duro golpe com a prisão de três de seus membros logo após um roubo a carro-forte ocorrido no dia 22 de maio deste ano na cidade de Unaí, quando ainda foram apreendidos oito fuzis, sendo um calibre .50.

Apesar da baixa, a quadrilha conseguiu se reestruturar e agiu novamente no dia 17 de outubro, na região de Grão Mogol, onde roubaram todo o dinheiro de um carro-forte. Nesta semana, as equipes integradas da operação iniciaram novas diligências atrás da quadrilha, que estaria se articulando para um novo ataque a um carro-forte na região de Montes Claros.

Ainda de acordo com a PM de Minas, a quadrilha em questão é responsável por ações que vitimaram policiais militares tanto na Bahia como no Ceará. Às 10h uma coletiva de imprensa será realizada em Montes Claros para divulgar mais detalhes da ação. 


Comments are closed.