Aprimorar a prática pedagógica de professores de 69 escolas do ensino fundamental de Betim, na região metropolitana de Belo Horizonte, por meio de métodos de ensino mais eficazes, e promover a integração das instituições de ensino com as comunidades. São essas as propostas do Programa Rota do Saber, criado nesta terça-feira (19) no município, em parceria da prefeitura, a instituição Ramacrisna e o Grupo Fiat Chrysler Automobilis.

A gestão do programa, também conhecido como Promovendo o Saber, será da Instituição Ramacrisna, que vai oferecer, durante 18 meses, uma equipe de educadores com formação em mestrado e com especializações internacionais para aprimorar e valorizar as práticas dos educadores.De acordo com a coordenadora do Grupo Fiat Chrysler, Luciana Costa, o programa já existe em cidades da Paraíba e do Pernambuco. Algumas cidades, segundo ela, deram um salto de até 25% na melhoria do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), que mede a qualidade do aprendizado nacional.

“Toda a metodologia desenhada para Betim também está focada na valorização do professor em atividades que estimulam o aluno a praticar as competências que ele vai adquirindo, com atividades lúdicas, incentivando-o através de exercícios, com redações, professores de matemática, para que a gente consiga, por meio do engajamento do aluno, melhorar outros indicadores além do Ideb aqui no município também”, disse Luciana.

Continua após a publicidade

De acordo com a secretária municipal de educação de Betim, Ellen Ises, os métodos de ensino serão os mais variados e profissionais e alunos também serão preparados para lidar com outras dificuldades. “Lidar com a questão da violência, por exemplo, que aflige muito e prejudica muito o aprendizagem, lidar com o bullying e com várias questões no entorno da comunidade escolar que afetam a escola no seu dia a dia. O que nós queremos é uma aproximação maior dos profissionais educadores com a realidade dos nossos educandos, para que eles possam agir e intervir nos momentos necessários e da melhor forma possível”, disse a secretária. O projeto inicial, que tem duração de 12 meses, vai atender 40 mil alunos do primeiro ao nono ano do ensino fundamental.

A vice-presidente da Ramacrisna, Solange Bottaro, conta que uma equipe de educadores de alto nível irá gerenciar o programa. “São pedagogos, psicólogos e pessoas com formação em mestrado e especializações internacionais. Vão aprimorar as competências e habilidades dos professores. Haverá uma plataforma, onde eles poderão interagir trocando conhecimentos e informações”, explicou Solange. “Melhorar a relação entre toda a equipe educacional com os alunos e as famílias”, reforça.


Comments are closed.