O juiz Luis Felipe Ferrari Bedendi, da 1ª Vara Empresarial de São Paulo, suspendeu nessa segunda-feira (18) a venda da Itambé para a francesa Lactalis. O processo corre em segredo de Justiça mas, segundo fontes, a decisão foi tomada com base em um pedido feito pela brasileira Vigor, que detém 50% da empresa.

Os outros 50% são da Cooperativa Central dos Produtores Rurais de Minas Gerais (CCPR). Para a Justiça, a CCPR violou a cláusula do acordo de acionistas ao negociar com a Lactalis sem dar o direito de preferência de compra para a Vigor, conforme o acordado. A medida interrompe um negócio que supera R$ 1,4 bilhão.

Procurada, a CCPR não quis comentar. Uma fonte disse, porém, que a cooperativa vai recorrer da liminar e tomará outras medidas cabíveis tanto na área judicial como na arbitral, onde o contrato entre CCPR e Vigor previa a resolução de conflitos. Procurada, a Vigor também não se pronunciou.

Continua após a publicidade

No dia 5 deste mês, a cooperativa anunciou a venda de 100% das ações da Itambé para a multinacional, dona das marcas Batavo, Elegê e Parmalat no Brasil. O anúncio ocorreu após a Itambé decidir não participar do negócio entre a Vigor e a mexicana Lala, que foi fechado no fim de outubro pela JBS.

Fornecimento. O acordo entre Lactalis e CCPR garantia à cooperativa agrícola o fornecimento exclusivo de leite. Após a JBS acordar a venda da Vigor à Lala, em agosto, o destino da Itambé ficou incerto. Primeiro, anunciou-se que o negócio seria de R$ 5,7 bilhões e incluiria 100% da Itambé.

No entanto, a CCPR decidiu exercer a opção de compra dos 50% pertencentes a Vigor. No fim de outubro, quando a Lala anunciou o fechamento do acordo com a JBS para a compra da Vigor, o valor anunciado foi de R$ 5 bilhões e incluía os 50% da Itambé.

Porém, a mexicana ressalvou que, caso a Itambé ficasse fora do negócio, o total da transação cairia para R$ 4,325 bilhões – hipótese que agora se confirma. Antes da decisão da Justiça, a estimativa era de que a aquisição da Itambé pela Lactalis fosse concluída no primeiro semestre de 2018.

PERFIL DA ITAMBÉ

Portfólio. Diariamente, a Itambé transforma 3,5 milhões de litros de leite em mais de 190 produtos, entre leites, iogurtes, requeijões e doce de leite.

Empregos. Considerada uma das maiores empresas de laticínios do país, a Itambé conta com mais de 7.000 fornecedores e 3.300 funcionários diretos.

Fábricas. Possui cinco fábricas, sendo quatro em Minas Gerais – Pará de Minas, Sete Lagoas, Guanhães e Uberlândia – e uma em Goiânia.

Maior compradora de leite

Caso a aquisição se confirme, a Lactalis se firmará como a maior compradora de leite do Brasil, ultrapassando a suíça Nestlé. No ano passado, a Nestlé captou 1,69 bilhão de litros, seguida pela Lactalis, com 1,62 bilhão, e pela CCPR/Itambé, com 1,1 bilhão, conforme ranking da Associação Leite Brasil.

Fundado há 84 anos na França, o grupo Lactalis é o maior produtor de lácteos do mundo, com operações em 85 países, mais de 75 mil funcionários e receita superior a 17 bilhões por ano.

Fonte: O TEMPO


Comments are closed.