MUNICÍPIOS – Os prefeitos e a população mineira sofreram mais uma derrota para o Governador Pimentel nesta semana, quando deputados da base de apoio ao Governador vetaram a emenda que destinava parte dos recursos da venda da Companhia, prioritariamente, ao pagamento da dívida do Estado com os serviços de Saúde dos municípios.

Continua após a publicidade

“De que adianta nos dar uma ambulância, mas cortar o dinheiro para custear o motorista, combustível, remédios, cirurgias, exames e consultas? Essa é a realidade nas prefeituras hoje. Só tem uma diferença. A comunidade, as famílias que ficam sem o remédio ou o serviço, batem na nossa porta todos os dias, e com razão, para reclamar de uma coisa que a culpa é do Governo do Estado que está retendo dinheiro que é dos municípios e do povo que mora neles”, desabafa o prefeito de Gurinhatã, Wender Luciano.

“Foi uma ação contra os interesses dos municípios. Nós queríamos garantir o pagamento dos recursos da Saúde, hoje, segundo o COSEMS, de cerca de R$ 2,5 bilhões. Foi uma grande derrota para todos os prefeitos”, disse o presidente da AMM e prefeito de Moema, Julvan Lacerda.

“Está na hora de uma reação dos municípios e das entidades que nos representam. Está na hora de irmos para a Justiça defender não o interesse de prefeitos, mas sim, o interesse do nosso povo que está sendo abandonado pelo Governo do Estado de Minas Gerais”, comentou a prefeita de Araporã, Renata Borges.


Comments are closed.