Governo de MG deve mais de R$ 2,5 bilhões para prefeituras só na saúde

 

MUNICÍPIOS – Os prefeitos e a população mineira sofreram mais uma derrota para o Governador Pimentel nesta semana, quando deputados da base de apoio ao Governador vetaram a emenda que destinava parte dos recursos da venda da Companhia, prioritariamente, ao pagamento da dívida do Estado com os serviços de Saúde dos municípios.

“De que adianta nos dar uma ambulância, mas cortar o dinheiro para custear o motorista, combustível, remédios, cirurgias, exames e consultas? Essa é a realidade nas prefeituras hoje. Só tem uma diferença. A comunidade, as famílias que ficam sem o remédio ou o serviço, batem na nossa porta todos os dias, e com razão, para reclamar de uma coisa que a culpa é do Governo do Estado que está retendo dinheiro que é dos municípios e do povo que mora neles”, desabafa o prefeito de Gurinhatã, Wender Luciano.

“Foi uma ação contra os interesses dos municípios. Nós queríamos garantir o pagamento dos recursos da Saúde, hoje, segundo o COSEMS, de cerca de R$ 2,5 bilhões. Foi uma grande derrota para todos os prefeitos”, disse o presidente da AMM e prefeito de Moema, Julvan Lacerda.

“Está na hora de uma reação dos municípios e das entidades que nos representam. Está na hora de irmos para a Justiça defender não o interesse de prefeitos, mas sim, o interesse do nosso povo que está sendo abandonado pelo Governo do Estado de Minas Gerais”, comentou a prefeita de Araporã, Renata Borges.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sine de Ituiutaba divulga vagas de emprego com salários de até R$ 2.500,00

IPTU de BH terá reajuste de 2,94% em 2018