Funcionária de salão de Contagem sai para trabalhar e desaparece

Após cinco dias do desaparecimento de sua filha e ainda sem receber qualquer notícia de seu paradeiro, o vendedor ambulante Jorge Luis da Silva, de 55 anos, conhecido como “Jorjão do Milhão”, resolveu procurar a reportagem de O TEMPO para tentar buscar notícias sobre a jovem Mariana Ferreira da Silva, de 21, que saiu de casa no último domingo (24) e não voltou para casa. 

A mulher, que trabalha em um salão de beleza no bairro Eldorado, em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte, vive com a família no bairro Inconfidentes, na mesma cidade. “No dia 24 ela saiu de casa por volta das 8h e só falou ‘bença’, dizendo que ia trabalhar. Desse dia para cá não temos mais notícia dela. Fui no salão e falaram que ela não apareceu para trabalhar. Depois já passamos a procurar nos hospitais, mas ela não entrou em nenhum deles. Só não fui no IML. Ela nunca tinha feito isso antes”, conta, desesperado, o senhor. 

Jorjão disse ainda que a filha tinha um namoro que não era aprovado pela família. “Quando ela chegou com ele lá em casa, eu manjei ele e vi que não dava para entrar na família e dispensei ele. Ela não é menina de namorar ainda, porque não tem juízo. Primeiro tem que formar, trabalhar, para ter um bom futuro”, argumenta o pai. 

FOTO: MARIELA GUIMARÃES / O TEMPO
DESAPARECIDA
Mariana está sumida desde o dia 24 de dezembro

Ele pede ajuda da população para ter pelo menos uma notícia da filha. “A gente se sente assim né, quando você olha para dentro de casa, vê os filhos e não vê ela. Pelo mundo que estamos hoje, a gente não pode confiar em nada, só em Jesus, que morreu na cruz para nos salvar. Mas temos que contar com a ajuda do povo, para nos comunica sobre onde ela estiver, para a gente ficar com a cabeça mais tranquila, pois quem é pai de família sofre”, pede Jorjão. 

Quem tiver mais informações sobre o paradeiro de Mariana pode entrar em contato pelos telefones (31) 9 7360-4648 (Glauciana) ou 9 7515-1721 (Jonas). 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Enfermeiro é preso e funcionários do João XXIII não assumem plantão

Mulher que trabalhava como motorista sofre sequestro relâmpago em BH