O governo de Minas vai aumentar o preço das passagens de ônibus intermunicipais em 3%. A informação é da Secretaria de Estado de Transportes e Obras Públicas (Setop), que autorizou, por meio de Resolução a ser publicada no Minas Gerais neste sábado (30), o reajuste. As novas tarifas entram em vigor a partir de zero hora do dia 1º de janeiro de 2018.

Confira os novos preços:

Belo Horizonte – Ipatinga: R$ 67,35
Belo Horizonte – Sete Lagoas: R$ 23,10
Belo Horizonte – Montes Claros (convencional): R$ 130,50
Belo Horizonte – Montes Claros (leito): R$ 243,30
Belo Horizonte – Uberlândia: R$ 166,85
Belo Horizonte – Governador Valadares: R$ 97,45
Uberlândia – Juiz de Fora: R$ 257

Mesmo com a autorização do reajuste anual, o valor das passagens do transporte coletivo intermunicipal por ônibus está 6,6% menor que a tarifa vigente no mês de janeiro de 2017. Isso porque o Governo de Minas Gerais havia autorizado, em julho deste ano, a desoneração do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) referente à prestação de serviço de transporte rodoviário de passageiros, vinculando-a à redução do valor das tarifas. A medida resultou numa diminuição média de 9,31% na tarifa dos ônibus intermunicipais.

CCAA Capinópolis

O preço do óleo diesel, que seria um dos maiores vilões para o índice de reajuste deste ano, teve o seu impacto reduzido no reajuste com a edição, pelo governador Fernando Pimentel, do Decreto nº 47.316, de 28 de dezembro de 2017, publicado no diário oficial desta sexta-feira (29/12), que reduz o ICMS sobre óleo diesel para o transporte de passageiros de 15% para 4%, já a partir de 1º de janeiro de 2018.

Assim, a tarifa da passagem no trecho Uberlândia/Juiz de Fora, que em janeiro de 2017 era R$ 274,95, em janeiro de 2018, mesmo com o novo reajuste, será R$ 257,00; Belo Horizonte /Ipatinga cairá de R$ 72,10, em janeiro de 2017, para R$ 67,35 em janeiro de 2018. Os novos valores das passagens não incluem pedágios ou taxas de embarque.

O reajuste anual da tarifa, previsto no contrato de concessão para a prestação do serviço de transporte coletivo intermunicipal de passageiros, visa à correção da defasagem dos valores das tarifas ocorridos nos últimos 12 meses, considerando a variação dos preços dos insumos, tais como combustíveis, peças de reposição, manutenção, depreciação do veículo, tributos, remuneração da mão de obra, entre outros.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui