Depois da forte onda de calor que atingiu Belo Horizonte nos últimos dias, a capital mineira registrou forte chuva na tarde de sábado (30). Algumas ocorrências foram registradas e tanto a Defesa Civil Municipal quanto o Corpo de Bombeiros fizeram alguns alertas em suas redes sociais.

Com apenas 15 minutos de chuva forte, o Ribeirão Arrudas transbordou. O ponto crítico foi na avenida Tereza Cristina, no cruzamento com a avenida Presidente Castelo Branco, limite ente Belo Horizonte e Contagem, na região metropolitana. O local é passagem do Córrego Ferrugem e, por isso, sempre que chove mais de 70 mm existe o risco de alagamento.

Com o transbordamento no encontro do córrego com o rio Arrudas, a Defesa Civil e a BHTrans fizeram alertas em suas redes sociais em relação ao riscos. Durante a tarde, um plano de contingência foi executado, e os acessos à avenida Tereza Cristina próximos ao Córrego do Ferrugem foram fechados.

Continua após a publicidade

Alerta. Moradores e voluntários da região bloquearam o acesso à avenida e alertaram pessoas a deixarem suas casas. A voluntária Márcia Gomes da Costa, conhecia como Tutuca, contou que, quando recebeu o alerta de chuva forte, alertou os outros voluntários e distribuiu os rádios e os materiais necessários para a execução do bloqueio da via.

“A gente consegue salvar vidas. Hoje (sábado) nós conseguimos tirar cinco famílias das casas, só que, infelizmente, elas voltaram. O córrego encheu em 15 minutos e passou de 35 mm para 70 mm”, contou Márcia.

Cobrança. Apesar do esforço dos voluntários, a população espera que medidas efetivas sejam adotadas. “O que a Prefeitura de Belo Horizonte faz não está adiantando nada. Os alagamentos são sempre recorrentes. Já vi muita tragédia”, disse o mecânico Enderson Marco Garcia, morador do bairro das Indústrias.

As chuvas de sábado ocorreram cerca de dois meses depois de a Prefeitura de Belo Horizonte realizar um treinamento com os moradores do entorno da avenida Tereza Cristina para prevenir tragédias decorrentes de inundações.

Aproximadamente 60 voluntários foram cadastrados pela PBH para atuarem nessas áreas.

O treinamento serve para evitar que pedestres e motoristas entrem nas áreas de risco no momento de chuva forte.

 

Capital registrou vários alagamentos

A reportagem do jornal O TEMPO recebeu relatos de leitores sobre inundações na avenida Tancredo Neves, no bairro Castelo, na região da Pampulha, e também na avenida Brigadeiro Eduardo Gomes, na região Noroeste da capital.

A BHTrans divulgou pontos de alagamentos na avenida Francisco Sá, próximo à avenida Amazonas, na rua Pará de Minas, próximo à Feira Coberta, e na avenida Pedro II, na altura do elevado Dona Helena Greco.

A empresa também alertou sobre o risco de transbordamento dos córregos Gorduras e Vilarinho.

Na rua Além Paraíba, no bairro Lagoinha, região Noroeste de Belo Horizonte, quatro pessoas ficaram ilhadas por causa do alagamento.

Segundo o Corpo de Bombeiros, elas não sofreram nenhum tipo de ferimentos e deixaram o local quando a água baixou.

Na avenida Brasil, na altura da avenida Bernardo Monteiro, uma árvore de grande porte caiu devido a força da chuva.


Comments are closed.