Pela primeira vez desde 2011, a tarifa dos ônibus suplementares de Belo Horizonte não sofreu alterações durante o ano. O último aumento foi realizado em dezembro de 2016, quando o atual preço de R$ 4,05 foi formulado. Um novo reajuste, no entanto, ainda é discutido na Justiça mineira. 

No último dia 22, as empresas do transporte coletivo da capital tiveram o pedido de liminar que visava ao reajuste das tarifas de ônibus negado pelo TJMG.

Os consórcios do sistema haviam impetrado um mandado de segurança, solicitando que as autoridades sejam obrigadas a aumentar o valor das passagens, conforme a fórmula paramétrica em vigor e o contrato do serviço de transporte.

Continua após a publicidade

A discussão sobre as tarifas começou no início de dezembro, quando as empresas de ônibus solicitaram um aumento de 10,5% nas passagens, a partir de um estudo que levou em consideração o salário dos motoristas e o aumento do preço do combustível. No entanto, o prefeito Alexandre Kalil (PHS) disse garantir que não haverá reajuste da tarifa, enquanto não houver auditoria nas contas do transporte.

Confira o histórico de reajuste da passagem em Belo Horizonte:

Dezembro 2010: R$ 2,45

Dezembro 2011: R$ 2,45 para R$ 2,65 

Dezembro 2012: R$ 2,65 para R$ 2,80

Junho 2013: R$ 2,80 para R$ 2,65 (no auge dos protestos de 2013, a prefeitura passou a não recolher uma série de impostos em cima da tarifa para reduzir o preço)

Abril 2014: R$ 2,65 para R$ 2,85

Dezembro 2014: R$ 2,85 para R$ 3,10

Dezembro 2015: R$ 3,10 para R$ 3,70

Dezembro 2016: R$ 3,70 para R$ 4,05


Comments are closed.