18/04/2017- Brasília- DF, Brasil- O ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Pereira, lança as discussões sobre o Novo Ciclo de Política Automotiva e a Rota 2030 para a mobilidade e logística do país
Foto: José Cruz/Agência Brasil

Mais um ministro pediu demissão do governo do presidente Michel Temer (PMDB) em menos de um mês. O mais recente desembarque foi feito na tarde desta quarta-feira pelo ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Pereira. Ele entregou carta de despedida a Temer em que afirma que apoia as reformas, principal desafio do governo neste ano.

No texto entregue a Temer, Pereira cita um dos principais percalços do presidente, a baixa popularidade, e aproveita para relativizar a má impressão que isso representa.

“Popularidade não quer dizer absolutamente nada. Como disse Confúcio, ‘o homem de palavra fácil e personalidade agradável raras vezes é homem de bem’. Há muitos por aí que comovem multidões, mas a exemplo do conto ‘O flautista de Hamelin”, encantam e arrastam milhares para o abismo”, afirmou.

Continua após a publicidade

Ainda no texto que entregou a Temer, Marcos Pereira afirma que apesar dos desafios políticos, o país tem apresentado melhoras nos índices econômicos o que o deixa em condições diferentes do momento em que ele afirma ter assumido o comando do ministério.

“Assumimos um governo falido, despedaçado, com todos os índices econômicos negativos e sem perspectivas de melhora a vista. Com coragem enfrentamos os desafios que foram impostos e hoje podemos observar um país que encontrou seu curso novamente – apesar das dificuldades políticas vivenciadas”, afirmou

No texto, Pereira lista algumas das ações que fez durante sua gestão e lamenta não ter entregado uma política automotiva compatível com a “grandeza e importância” dessa cadeia produtiva. Na lista de realizações, Pereira destaca, por exemplo, a renovação por 5 anos do acordo bilateral automotivo com a Argentina. “Fortalecemos os laços com o nosso principal parceiro na América do Sul”, diz.

Pereira também escreve que deixa a pasta com o acordo entre União Europeia e Mercosul muito próximo de se concretizar. “Na Argentina, em dezembro, demos o passo mais significativo nesta negociação que se arrasta há 17 anos”.

Apesar disso, pelas redes sociais, o ex-ministro considerou que cumpriu com dedicação seu papel na pasta. “Caros amigos, colegas do PRB, povo brasileiro: entreguei hoje ao presidente Michel Temer meu pedido de demissão do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços. Cumpri com muita dedicação esta missão que me honrou muito”, postou.

Marcos Pereira estava à frente da pasta do Comércio e Indústria desde maio de 2016, ainda no governo interino de Temer.

Nas últimas semanas, também pediram demissão os ministros Antonio Imbassahy (Secretaria de Governo) e Ronaldo Nogueira (Trabalho).

Marcelo Ernesto / Estado de Minas


Comments are closed.