Além da morte de um homem de 51 anos por febre amarela em Brumadinho, na região metropolitana, o governo do Estado confirmou, na tarde desta sexta-feira (5), que outro morador da cidade, de 37 anos, que está internado, também teve exame positivo para a doença. Para evitar a transmissão da febre amarela, o Parque Estadual da Serra do Rola-Moça foi fechado para visitação.

O governo do Estado enviou equipes para Brumadinho para a realização de vacinação de casa em casa. A ampliação do horário de vacinação até o período noturno também será adotada no município. “Os agentes estão indo de casa em casa, inclusive na zona rural, para fazer a vacinação, e vamos começar a fazer a vacinação noturna, porque tem gente que só pode ser encontrada no domicílio à noite, porque durante o dia, às vezes, está na zona rural trabalhando”, afirmou o secretário de Estado de Saúde, Sávio de Souza Cruz.

Segundo o secretário, o Estado pretende antecipar a liberação de recursos para municípios em alerta para a febre amarela e vai pedir suporte financeiro à União para auxiliar no combate à doença.

Minas Gerais tem atualmente 1,4 milhão de vacinas contra a febre amarela em estoque e já solicitou mais 1 milhão de doses ao governo federal. “Do problema de falta de vacina nós não padeceremos”, garantiu o secretário. A cobertura vacinal no Estado contra a febre amarela subiu de 47%, no ano passado, para 81% atualmente.

CCAA Capinópolis

Um total de 21 municípios mineiros registou episódios de mortes de macacos, indicativo de febre amarela, desde julho de 2017.

Inhotim

Como forma de evitar a transmissão da febre amarela, o governo do Estado decidiu pela suspensão da visitação ao Parque Estadual da Serra do Rola-Moça. Em reunião realizada na tarde desta sexta-feira com a presença do governador Fernando Pimentel (PT), a mesma orientação foi repassada ao museu Inhotim. No entanto, o representante do museu afirmou que outras medidas seriam adotadas.

Em nota, o Inhotim informou que não foram identificados mosquitos transmissores de febre amarela no instituto e que nenhum caso da doença foi registrado no local.

O museu afirmou que está tomando todas as medidas preventivas necessárias para combater a doença, desde o ano passado. Uma campanha de vacinação foi feita, assim como a divulgação de informações para os funcionários. O Inhotim declarou, ainda, que realiza monitoramento diário de animais e que, nos próximos dias, vai disponibilizar repelente para os visitantes.

Em Belo Horizonte, atualmente estão fechados, devido à febre amarela, o Parque das Mangabeiras, o Mirante e o Parque da Serra do Curral.

Fonte: Agência Minas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui