A principal linha de investigação para a morte de de Katyane Rosa de Jesus Araújo, de 31 anos, em Abaeté, na região Central do Estado, aponta para o crime de latrocínio – roubo seguido de morte – , conforme informou o delegado Rodrigo Noronha nesta sexta-feira (5). A vítima, que era mulher de um policial militar, desapareceu no último sábado.

Segundo o policial, alguns suspeitos dos crimes já foram identificados. “A possibilidade de crime passional, participação do companheiro dela e relação entre a morte e a profissão dele foram descartadas. Ficamos entre homicídio e latrocínio, sendo a última mais forte, uma vez que os pertences, joias e o dinheiro que ela levava não foram localizados”, explicou.

A Polícia Civil ainda investiga qual foi a causa da morte da mulher e se ele teve o corpo queimado ainda viva. Katyane saiu de casa por volta das 19h30 de sábado para entregar algumas notas fiscais e com a quantia de R$ 2 mil. Desde então, o marido não conseguiu mais contato com a vítima por telefone.

Continua após a publicidade

Após mais de 24 horas do encontro da caminhonete, o corpo de Katyane foi localizado no domingo por ciclistas que realizavam uma trilha em uma estrada vicinal próximo ao Morro da Coruja, em outro ponto da cidade.

Uma amiga vista com a mulher pela última vez chegou a ser conduzida à delegacia para prestar esclarecimentos, foi ouvida e liberada.


Declaração no Facebook

Por meio da página do Facebook em que o casal tinha em comum, o marido da vítima, um sargento de Martinho Campos, se manifestou após o encontro do corpo. Leia na íntegra:

“É muita dor perder uma pessoa assim, de sonhos elevados e um coração enorme. Vá em paz minha flor do dia. Os anjos saltaram no céu quando viram a tamanho beleza. Estarei aqui lutando por justiça e espero um dia te encontrar no reino do Céu. Te amo muito. Muito obrigada por tudo que você fez por mim. Nunca esquecerei nossos momentos de felicidades juntos. Um beijo no coração. Até um dia. Obrigado a todos nossos amigos”.
 


Comments are closed.