Depois da confirmação de três mortes por febre amarela em Nova Lima, na região metropolitana de Belo Horizonte, a população está procurando os postos de saúde na manhã desta sexta-feira (12) em busca da vacina contra a doença. A cidade é a que tem mais casos da doença até agora em Minas, que já registrou dez óbitos, seguida por Mariana (2) e Barra Longa (2), Brumadinho (1),  Carmo da Mata (1) e  Mar de Espanha (1).

A reportagem de O TEMPO está na cidade e conversou com diversas pessoas que estão com medo após as notícias. O eletricista José Luiz de Brito, de 58 anos, foi o primeiro a chegar no Centro de Saúde do bairro Cascalho. 

“Estou com muito medo, todo mundo morrendo, aí não pode facilitar. Tem que se imunizar, para não correr risco de morrer. Eu acho que já tive febre amarela, muitos anos atrás, aí vou ver como que é essa questão da vacina”, disse o morador da cidade. 

Continua após a publicidade

Ele conta que um soldador que está fazendo alguns portões para ele teria atrasado a entrega após o filho dele morrer por febre amarela. “Quando recebi essa notícia eu já vim direto para cá, está todo mundo assombrado mesmo”, conclui o eletricista

O aposentado Edson Martins, de 62 anos, disse que também procurou a vacinação após receber a notícia da morte de um conhecido. “Vim só prevenir, já tomei uma dose em 2009, aí vim só conferir se preciso tomar de novo. Estou me precavendo”, completou. 

As vacinas contra a febre amarela estão disponíveis em todas as unidades básicas de saúde com sala de vacinação de Nova Lima.

Diante da grande procura, o município resolveu reforçar neste sábado (13) a vacinação nos centros de saúde dos bairros Cascalho, Galo, Honório Bicalho, Santa Rita e, também, no distrito de São Sebastião das Águas Claras, mais conhecido como Macacos. 

Além disso, um posto para vacinação será montado no Alphaville. A população poderá se vacinar entre 9h e 16h. 

 

Clima de tristeza e medo em velório

Enquanto a população corre em busca da vacinação, a família do serralheiro Euler Teles Souza, de 41 anos, vive um clima de tristeza e medo durante o velório do homem, que morreu na manhã de quinta-feira (11) sob suspeita de febre amarela

O corpo da vítima é velado no Cemitério Parque Municipal, em Nova Lima. O TEMPO conversou com o pai da vítima, o também serralheiro José Roque de Souza, de 63 anos. 

FOTO: ALEX DE JESUS / O TEMPO
velório nova lima
O velório de Euler acontece no Cemitério Parque Municipal

“Ele começou a sentir os sintomas na sexta-feira passada, dia 5. Ele internou na terça-feira (9), levamos para o Hospital do Barreiro, e lá constatou que era febre amarela. Dois dias depois ele veio a falecer. Todo mundo da família já tomou vacina”, disse. 

Ainda segundo ele, a informação é que moradores de Nova Lima, Raposos e Sabará já estão impedido de doar sangue, para evitar o risco de contaminação.


Comments are closed.