No auge dos seus 74 anos, ele segue mais vivo e querido do que nunca. Aliás, como uma das famosas cachaças expostas em seus galpões, ele fica ainda melhor com o tempo. É em meio a uma charmosa arquitetura e uma infinidade de atrações que o Mercado Municipal tornou-se, ao longo do tempo, roteiro certo no itinerário de cada visitante ou morador do município. Uma verdadeira celebração à cultura mineira no Centro da cidade, materializada em queijos, doces e inúmeras outras iguarias típicas do estado.

 

Um dos cartões postais de Uberlândia desde 1944, o Mercado reúne milhares de produtos dotados de extrema singularidade, expostos em blocos dos mais diferentes perfis, sob a responsabilidade da Secretaria Municipal de Agropecuária, Abastecimento e Distritos. Quem passa por seus corredores se depara com variadas opções. Um mel de qualidade para adoçar a rotina, um rústico amolador de facas feito de pedras, um sabonete natural extraído de flores do Cerrado, um tradicional pilão esculpido por mãos hábeis, temperos que aguçam o olfato dos visitantes e tantos outros produtos em tradicionais pontos de venda.

Foto: Marco Crepaldi
Continua após a publicidade

Tesouros mineiros

Uma grande procura fica por conta das valorizadas cachaças mineiras. Só a barraca de João Campos Andraus oferece (há 18 anos aproximadamente) 500 variedades da bebida regional. São opções que variam de R$10 até R$1,6 mil. “Recebemos inúmeros turistas todos os dias, ainda mais agora em janeiro. Por isso, a gente tenta preservar ao máximo esse espaço, oferecendo qualidade, bom preço e um atendimento especial”, comentou.

 

Jonas Cherulli, morador da cidade paranaense de Ponta Grossa, aproveitou a tarde desta segunda-feira (15) em Uberlândia para passear no mercado com a esposa e as filhas. Entre as várias sacolas de compras, uma tinha um sabor especial. “O doce de leite daqui não tem igual. É algo que eu espero o ano inteiro para vir comprar. Como dizem os mineiros, é um trem danado de bom”, confidenciou.

 

Tradição que passa por gerações

Foto: Marco Crepaldi

E quem entende do quitute é incapaz de negar tal afirmação. Há 50 anos, o Box do Chico oferece uma infinidade de doces e queijos pra quem vive ou visita a cidade, como é o caso da família de Jonas. Fundada por Francisco Antônio e sua esposa Aparecida de Paula, a venda hoje é administrada por um dos netos do casal. Aparecida, hoje com 92 anos, ainda relembra com carinho todo o início das atividades. “O Mercado é uma parte importante da minha vida. Tudo que temos foi tirado daqui. Foi o fruto de sustento dos meus sete filhos, por isso ainda guardo tanto carinho”, comentou.

Atendimento diferenciado

Foto: Marco Crepaldi

Em janeiro, faz 18 anos que o artesão Robson Miranda Brito alegra o Mercado com seus brinquedos artesanais. A coleção é capaz de despertar sorriso nos pequenos e a nostalgia nos grandes. Diferentemente de lojas convencionais, no local todas as crianças são liberadas a brincar com as criativas opções.

“Produto por produto, qualquer lugar oferece. Mas aqui atendemos de forma diferente. É um local onde as pessoas sentam e conversam. Se eu fechasse isso aqui, acho que sentiria muita falta das amizades diárias e das crianças”, disse Robson.

Cultura e entretenimento

Foto: Valter de Paula

Além do comércio tradicional, o Mercado Municipal é palco de shows musicais, apresentações teatrais, exibições de filmes, exposições de artes visuais e performances. O Espaço Cultural, localizado no segundo piso, é um ambiente com auditório e sala de artes, projetado para celebrar diferentes manifestações.

 

Outro detalhe de grande interesse público são as tradicionais rodas de samba que acontecem aos fins de semana, nas áreas próximas aos bares e restaurantes instalados no local, com a presença de centenas de pessoas a cada realização.

 

O Mercado tem, ainda, açougues, barbearia, opções em gastronomia, tabacaria, engraxataria e outras opções.

 

Visite!

Mercado Municipal de Uberlândia:

Onde: Rua Olegário Maciel, 255, no Centro

Horário de funcionamento:

Bloco – segunda a sábado, das 8 às 18h. Domingo, das 8h às 12h30 (bloco)

Espaço Cultural – segunda a sexta, das 12 às 17h

Obs: Outros estabelecimentos, como bares, possuem horários diferentes de funcionamento


Comments are closed.