A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta terça-feira (16), uma operação de combate a fraude na importação de equipamentos médicos. Os trabalhos foram deflagrados em  Dionísio Cerqueira, no Oeste catarinense, no entanto são cumpridos 61 mandados de busca e apreensão em 47 cidades de 18 estados do país, incluindo Minas Gerais. Segundo informações extraoficiais já houve prisão em Minas.

Essa é a segunda fase da Operação Equipos, realizada em setembro de 2017, que agora recebeu o nome de Zona Cinzenta. “A investigação teve início a partir da apreensão de carga de equipamentos médicos em outubro de 2013, na ACI. Na ocasião, foram apreendidos tomógrafos, mamógrafos, dentre outros equipamentos de alto valor comercial, em uma carga avaliada em aproximadamente R$ 3 milhões, sendo R$ 2 milhões os tributos sonegados. Na documentação constava descrição genérica da mercadoria e valor declarado de US$ 180 mil (apenas 10% do valor real)”, informou a PF.

Ainda segundo a polícia são investigados empresários e pessoas jurídicas do ramo de exportação e importação, revendedores, clínicas, hospitais, despachante aduaneiro, além de um doleiro responsável pelo repasse de recursos ilícitos ao grupo. Também é apontado como integrante do grupo criminoso um servidor da Receita Federal com lotação em Dionísio Cerqueira, que teria recebido valores ilícitos em troca de facilitação da ação da quadrilha.

Continua após a publicidade

Os principais envolvidos foram indiciados por Corrupção Ativa, Corrupção Passiva, Associação Criminosa, Contrabando, Facilitação de Contrabando e Falsidade Ideológica, cujas penas máximas somadas passam 20 anos de prisão. Ao todo 250 policiais participam da operação.

São cumpridos mandados em Santa Catarina, Alagoas, Amapá, Bahia, Espirito Santo, Goiás, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Minas Gerais, Paraíba, Pernambuco, Paraná, Piauí, Rio de Janeiro,Rio Grande do Sul, Roraima, São Paulo, Sergipe e no Distrito Federal.
 

Com assessoria de imprensa da Polícia Federal 


Comments are closed.