A postagem no Facebook de uma estudante da Paraíba chamando a atenção para a música que pode ser hit do Carnaval em 2018 viralizou na rede social. A menina aparece em uma foto segurando um trecho da música de funk “Surubinha de leve”, do MC Diguinho. Ela está com o rosto maquiado como se tivesse sido agredida e chamando atenção para a música fazer apologia ao crime de estupro.

“Sua música ajuda para que as raízes da cultura do estupro se estendam. Sua música aumenta a misoginia. Sua música aumenta os dados de feminicídio. Sua música machuca um ser humano. Sua música gera um trauma. Sua música gera a próxima desculpa. Sua música tira mais uma. Sua música é baixa ao ponto de me tornar um objeto despejado na rua”, escreveu a menina na rede social.

A postagem já teve quase 90 mil compartilhamentos, em menos de 24 horas e 22 mil curtidas. A letra d música diz: “Taca a bebida, depois taca a pica / E abandona na rua”. A postagem está causando divergências pelo Facebook, há quem discorde da menina dizendo que o crime de estupro sempre existiu independente da letra do funk. Já outras pessoas concordam com ela e dizem que a música sustenta o machismo.

Continua após a publicidade

Na sua página oficial o MC Diguinho ainda não se pronunciou sobre o caso. A reportagem de O TEMPO também tentou contato com o músico pelo telefone na sua rede social, mas o celular estava desligado.

Sua música ajuda para que as raízes da cultura do estupro se estendam. Sua música aumenta a misoginia. Sua música…

Publicado por Yasmin Formiga em Segunda, 15 de janeiro de 2018

Fonte: O TEMPO


Comments are closed.