Em uma nota divulgada nesta quarta-feira (17), a Secretaria de Saúde Municipal afirmou que o músico e compositor Flávio Henrique que teve a confirmação de febre amarela nesta quarta contraiu a doença em outro município da região metropolitana, que não teve o nome divulgado. Segundo a nota, o músico não tinha se vacinado. O músico permanece internado no Centro de Terapia Intensiva (CTI) no Hospital Mater Dei, que fica no Barro Preto, região Centro-Sul de Belo Horizonte. Flávio também é presidente da Empresa Mineira de Comunicação, que abrange a Rede Minas e a Rádio Inconfidência.

Pela nota o Mater Dei afirma que ele é assistido pela equipe médica e está recebendo os cuidados necessários.  Pelo Facebook, vários amigos do músico já vinham alertando para a possibilidade dele estar com a doença, no entanto a confirmação só saiu nesta quarta. Os amigos agradeceram as orações e vibrações positivas. 

Os amigos e familiares também estão fazendo uma campanha para doação de sangue para o músico. Segundo a campanha ele precisa de 80 doadores.  Quem puder doar deve comparecer ao Hemoter, na rua Juiz de Fora, 861, em Belo Horizonte.

Continua após a publicidade

Flávio Henrique é uma das figuras mais queridas de Belo Horizonte. Ele é compositor, produtor e instrumentista e tem mais de 120 músicas gravadas. Integrante do quarteto Cobra Coral, ele já participou de parcerias com Milton Nascimento, Chico Amaral, Fernando Brant, Zeca Baleiro, Ronaldo Bastos, Vander Lee e Toninho Horta.

O músico também foi um dos pioneiros do Carnaval em Belo Horizonte, já que em 2012 ele escreveu a música “Na Coxinha da Madrasta”, primeiro hit da safra de marchinhas e que faz alusão ao uso que o então vereador Leo Burguês fez de sua verba indenizatória para comprar lanches com sua madrasta.

Flávio Henrique assumiu a Inconfidência em novembro de 2015 após a exoneração de Tancredo Antônio Naves.


Comments are closed.