O município de Viçosa, na região da Zona da Mata, registrou nesta quarta-feira (17) sua primeira morte sob investigação de febre amarela. A informação foi divulgada pela Prefeitura da cidade, que lamentou o falecimento do produtor rural de 61 anos, que estava internado no Hospital Eduardo Menezes, em Belo Horizonte.

Conforme nota divulgada pelo órgão, a vítima era moradora da região de Estiva e foi internado no Centro de Terapia Intensiva (CTI) do Hospital São Sebastião, em Viçosa, no último domingo (14). “Apresentando dor abdominal, febre, sinais hemorrágicos e disfunção renal, ele foi transferido para o hospital de referência em Belo Horizonte na noite de segunda-feira (15). O Hospital Eduardo Menezes confirmou a morte do viçosense na manhã desta quarta-feira (17/01) à prefeitura de Viçosa”, diz o texto da Prefeitura.

Agora, a vigilância epidemiológica da Secretaria de Saúde da cidade aguarda o resultado dos exames laboratoriais que estão sendo feitos na Fundação Ezequiel Dias (Funed). “A confirmação ou o descarte do diagnóstico deve ser publicado ainda no próximo boletim epidemiológico da secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais”, completa a nota. 

Continua após a publicidade

Outros dois casos suspeitos da doença em Viçosa ainda são investigados. Os registros ocorreram próximo à divisa com o município de Porto Firme.

O secretário de Saúde de Viçosa, Marcos Schitini, e a equipe da vigilância epidemiológica estão reunidos na manhã desta quarta com a equipe da Gerência Regional de Saúde de Ponte Nova. No encontro será definida a nova estratégia de imunização que Viçosa adotará.

Por fim, o município afirmou que ainda nesta quarta uma nova nota com as informações sobre esta reunião será divulgada. 

 

Primeira morte em BH

A Prefeitura de Belo Horizonte emitiu uma nota, na terça-feira (16), confirmando uma morte por febre amarela em Belo Horizonte, é o primeiro óbito pela doença na capital em 2018. A morte ocorreu no último dia 11 de janeiro. A transmissão, segundo a secretaria não ocorreu em Belo Horizonte.

“A investigação epidemiológica apontou que a contaminação ocorreu em sítio de outro município da região metropolitana de BH.  O óbito por febre amarela ocorreu em pessoa do sexo masculino, sem registro de vacina, com 53 anos e baixa imunidade. Foi internado  no Hospital Júlia Kubistschek (no bairro Milionários, Barreiro) e era residente na região do Barreiro”, informou a nota.

Segundo a nota, foram feitas vistorias detalhadas para retirada de focos do mosquito Aedes Aegypti, transmissor da doença em 520 imóveis próximo a residência do morador de Belo Horizonte que faleceu por febre amarela, foram dadas também informações a moradores da região sobre a necessidade de imunização e aplicação de inseticida contra o veto.

No município vizinho de Nova Lima foi confirmada na segunda-feira (15) a quinta morte por febre amarela e mais cinco macacos foram encontrados mortos, de acordo com a Secretaria Municipal de Saúde.

Até agora, Minas Gerais possui no total 14 mortes confirmadas pela doença. Até o último boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde (SES), ainda estão sob investigação 26 casos de internação com cura e oito casos de óbitos. 


Comments are closed.