A Justiça expediu uma ordem de interdição parcial do presídio de Frutal. De acordo com decisão do Tribunal de Justiça de Minas GeraisTJMG nesta quinta-feira (18), o objetivo da determinação é para que sejam realizadas obras de melhorias de infraestrutura e higiênico-sanitário na unidade.

A Secretaria de Administração Prisional – Seap informou em nota que foi notificada e está cumprindo as decisões da Justiça. A sentença do juiz, André Ricardo Botasso é do último dia 9 de janeiro e determina que deve-se iniciar, no prazo de 30 dias, a realização das obras reparatórias e de segurança, de modo a assegurar aos custodiados os direitos assegurados na Constituição da República e condições dignas de trabalho aos servidores públicos que ali trabalham, concluindo-as em, no máximo, seis meses, sob pena de pagamento de multa diária no valor de R$ 500, limitada a R$ 200 mil.

Suspende-se imediatamente as transferências de detentos de outros estabelecimentos penais para a unidade de Frutal, enquanto perdurar a situação de superlotação carcerária, sob pena de pagamento de multa no valor de R$ 1 mil por preso transferido.

Continua após a publicidade

A decisão atende uma Ação Civil Pública proposta, em 2008, pelo Ministério Público de Minas Gerais contra o Estado de Minas Gerais para que sejam feitas obras de melhorias de infraestrutura no presídio, localizado na Rua Olavo Bilac, nº 225, Centro.

Com informações do Portal G1


Comments are closed.