Agentes penitenciários frustraram, na manhã desta quarta-feira (24), uma tentativa de entrar com celulares no Complexo Penitenciário Nelson Hungria, em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte. Os aparelhos estavam escondidos no veículo de uma fábrica de bolas que atua em parceria com a Secretaria de Estado de Administração Prisional (Seap). 

O TEMPO teve acesso à imagens que mostram o veículo onde foram apreendidos três celulares, cinco fones de ouvido, três carregadores e três cabos USB. De acordo com um agente penitenciário que não quis ser identificado, esta foi a terceira apreensão de celulares envolvendo a fábrica de bolas somente em 2018. 

“Somente nesta semana esta é a segunda apreensão. E a empresa continua ganhando dinheiro com a fabricação de bolas dentro da unidade prisional”, reclama. 

Continua após a publicidade

Procurada pela reportagem, a Seap confirmou a apreensão desta quarta por meio de uma nota, mas não detalhou se houveram outras apreensões envolvendo a empresa neste ano. “O material foi encontrado no para-choque do caminhão de uma empresa parceira de trabalho do Complexo e foi encontrado durante a revista no veículo”, explicou a pasta. 

FOTO: WEB REPÓRTER
celulares carro fabrica bolas
Os celulares estavam escondidos no para-choque do veículo

Foi redigido um Registro de Evento de Defesa Social (REDS) pelos próprios agentes penitenciários e a direção do complexo penitenciário instaurou uma investigação preliminar para apurar administrativamente o ocorrido. 

“As investigações criminais ficam a cargo da Polícia Civil”, conclui a nota. 


Comments are closed.